Matrícula ou Email: Senha: Esqueci a senha 




Índice
Epônimos  

 
 
   Epônimos, com base na Obra “Epônimos em Medicina Legal” de Hildebrando Xavier da Silva. Bahia 2000. (240 páginas) Sem editora explícita.

Exercícios de Epônimos
ADELON Definição de. Medicina Legal. Medicina considerada em suas relações com a existência das leis e a administração da justiça.
ADLER Reação de. Investigação de manchas de sangue. Adiciona-se ao material suspeito algumas gotas de solução saturada fresca de benzidina em ácido acético mais uma ou duas gotas de água oxigenada. A coloração verde ou azul indica positividade para sangue
ADLER Reação de. Causas de farmacodependência. Devido a um “complexo de inferioridade”, por quem não pode enfrentar os problemas intrapsíquicos e sua relação com o mundo, buscando evasão nas drogas.
AFRÂNIO PEIXOTO Classificação de Asfixias pelo critério fisiopatológico: puras (sufocação e submersão); complexas (enforcamento e estrangulamento; mistas (esganadura).
AFRÂNIO PEIXOTO Classificação de himens: acomissurados, comissurados e atípicos.
AFRÂNIO PEIXOTO Definição de. Medicina Legal. Aplicação de conhecimentos científicos aos misteres da Justiça. Não é uma ciência autônoma, mas um conjunto de aquisições de várias origens, por um fim determinado”.
AITCHISON Índice de. Antropometria. Determinação do sexo pelos dentes. Proporção incisivos superiores centrais e laterais
ALLIS Sinal de. Traumatologia. Lesões corporais. Relaxamento da aponeurose entre a crista ilíaca e o grande trocanter que se observa na fratura do colo do fêmur.
AMADO FERREIRA Reação de. Pesquisa de sangue. Mancha de sangue + benzidina dissolvida em ácido acético + água oxigenada. A coloração azul intensa faz grande probabilidade do material ser sangue.
AMBROISE-PARÉ Sinal de. Enrugamento e escoriações no fundo do sulco, no enforcamento
AMBROISE-PARÉ Sinal de. Luxação da segunda vértebra cervical, no enforcamento
AMEUILLE Sistema flebográfico de. Identificação pelas veias do arco venoso nasal
AMOEDO Sistema odontológico de. Identificação pelo levantamento da arcada dentária e de cada uma de suas peças
AMUSSAT sinal de - Rotura transversal da íntima da carótida - enforcamento
AMUSSAT-DEVERGIE-HOFMANN Sinal de. Laceração transversal da túnica interna (íntima) da carótida comum, logo abaixo da bifurcação, no enforcamento
ANFOSSO Sistema craniográfico de. Identificação. Registro do perfil do crânio, da raiz nasal até a nuca
ANSTIE Reação de. Pesquisa de álcool na urina mediante a adição, gota a gota, de uma solução de bicromato de potássio em ácido sulfúrico concentrado a 1/300. Se positivo, resulta em uma coloração verde-esmeralda.
ARBENZ Fórmula de. Estimativa da alcoolemia. Leva em conta o tempo entre o fato e o exame. Coeficiente de etil-oxidação no homem = 0,22 e na mulher = 0,20
ASCARELLI Prova de. Morte. Gota de cochinilha sobre polpa hepática ou esplênica retirada por punção e seco em papel de filtro. Em caso de óbito, a acidez não produzirá alteração de cor na peça
ASCHHEIM-ZONDEK prova de - camundongo fêmea - gravidez
ASHLEY Fórmula de. Diagnóstico do sexo pelo esterno. Esterno + manúbrio > 149mm nos homens e < 149mm nas mulheres
AUENBRUGGER Sinal de. Traumatologia. Distensão do epigástrio provocada por extenso derrame pericárdico.
AZEVEDO NEVES Sinal de. Livores punctiformes por cima e por baixo das bordas do sulco
BABINSKI Sinal de. Traumatologia. Diminuição do reflexo aquileu na ciática.
BAECCHI Reação de. Prova de conjunção carnal. Feita a partir da reação de Florence. Após vinte a trinta minutos, surgem da periferia para o centro, outros cristais arredondados e de tonalidade mais carregada que os de Florence
BALAUNDE Método foto comparador de. Identificação do cano da arma da qual saiu determinado projetil
BALTHAZARD Esquema de. Espessura dos pelos - Barba=0,14 a 0,15mm; pestanas e genitais 0,15 a 0,10mm; cabelos masculinos=0.08mm; cabelos femininos=0,06mm
BALTHAZARD Método fotográfico de. Identificação do cano da arma que disparou o projetil. Moldagem dos projetil com folha de estanho.
BALTHAZARD Docimacia histológica de. No pulmão do natimorto, os gases da putrefação desenvolvem-se no tecido conjuntivo, enquanto que no que respirou, formam-se nos alvéolos, destuindo os septos e condensando o tecido conjuntivo. Caso o tecido alveolar esteja já des
BALTHAZARD Fórmula de. Cronotanatognose. Os pêlos da barba crescem até a morte. 0,5mm/dia ou 0,021mm/hora
BALTHAZARD E DERVIEUX Fórmula de. Cálculo da idade fetal em dias (I) pela estatura (E), que é calculada pelos comprimentos das diáfises do fêmur (Cf), tíbia(Ct) e úmero(Cu). I = Ex5,6; E=5,6Cf + 8; E=6,5Ct + 8; E=6,5Cu + 8
BALTHAZARD E LEBRUN Docimásia pulmonar histológica de. Diferenças histológicas do pulmão que diferenciam o pulmão que respirou do que não respirou.
BARBÉRIO Reação de. Prova de conjunção carnal. Cristais de barbério. Coloca-se o material suspeito com metade de seu volume em solução aquosa saturada de ácido pícrico e em 2 a 5 minutos, observa-se ao microscópio, cristais de Barbério, amarelos, em forma de agulh
BARR Corpúsculo de. Identificação do sexo. Corpúsculos de Barr-Bertram. Cromatina sexual. Presentes em maior freqüência em células femininas
BARRETO PRAGUER Definição de. Medicina Legal. “Aplicação dos conhecimentos médicos por meio de especialistas, às diversas questões do Direito Civil ou Criminal, com o fim de esclarecer o magistrado”.
BAUDELOCQUE Pelvímetro de. Compasso de espessura
BAUDOIN Índice condiliano occipital. Relação entre a largura máxima e o comprimento máximo do côndilo occipital. Os côndilo occipitais são mais largos e curtos no sexo feminino (>55) e mais longos e estreitos no masculino(<50).
BAUDOIN Índice sexual de. Medido na primeira vértebra cervical. 100 x (diâmetro transversal máximo - diâmetro transverso do canal). No homem, a largura do atlas é maior que nas mulheres
BAYARD - TARDIEU Equimose de. O mesmo que manchas de Tardieu
BEAU Sulcos transversos de. Unha. Decorre de traumas. A disância da base da unha permite o cálculo da época da lesão. Crescimento médio de 1mm por semana.
BECK Síndrome traumática de. Tamponamento cardíaco.
BÉCLARD Ponto de. Núcleo de ossoficação da epífise dista do fêmur. Aparece no nono mês de gestação, geralmente 15 dias antes do nascimento
BÉCLÉRE Ponto de. Centro de ossificação da epífise distal do fêmur. Aparece no 9o mês de vida intra-uterina, geralmente 15 dias antes do nascimento.
BEDDOE Método de. Medida da capacidade craniano por meio da circumferência horizontal do crânio, o arco násio-iniaca e do o arco transverso bi-auricular.
BELAUNDE Sistema fotocomparador. Identifica o cano do qual saiu detrminado projetil de arma de fogo
BENASSI Sinal de. Ou Benassi-Cueli. Esfumaçamento ósseo em disparos encostados. Resiste à putrefação
BENECKE Técnica de. Necropsia. Abertura de crânio em recém-nascidos. Na abertura, seciona-se as suturas membranosas bilateralmente e alcança a foice do cérebro por ambos os lados.
BENEDICT LAMY Reconstituição de. Dactiloscopia no cadáver em estado de rigidez
BENTHAM Sistema dermográfico de. Preconiza a aplicação de tatugem nas pessoas logo ao nascer
BEOTHY Docimásia alimentar de. Presença de alimentos no estômago.
BERG Sinal de. Determinação das fosfatases = 77,1 mg. VN= 12,1 mg
BERGONIE E SIGALOS Método de. Cálculo de área de superfície corporal. Envolve-se todo o corpo com esparadrapo, medindo-se depois a superfície deste.
BERKOW Método de. Determinação da superfície corporal. Estabelece percentagens para cada parte. Face anterior: 51% (face = 3%; peito = 7%; abdome = 6%; inguino-escrotal = 7%; braço = 9%; perna 19%) e posterior = 49% (crânio = 3%; cérvico-dorsal = 9%; lombo-glúteo = 9%; braço e perna = sup. anterior).
BERNARDO MOTTA Técnica de. “Método do Látex”. Identificação de cadáver macerado. 1 – submerge-se por alguns segundos os dedos do cadáver numa solução de látex líquido com um pouco de formo. 2 – Este molde dos dedos formado pelo látex constitui o “negativo” do dactilograma.  Repete-se o procedimento obtendo-se um novo molde para cada dedo que constituirão o “positivo” correspondente ao desenho normal do dactilograma. 3 – tinge-se os moldes obtidos para impressão e análise.
BERNSTEIN Lei de. Investigação da Paternidade. Pessoas "AB" não podem ter filho "O". Pessoas "O" não podem ter filhos "AB".
BERNT Sinal de. Pele anserina por rigidez dos músculos pilo-eretores. Comumente observado nos ombros, face lateral das coxas e braços, no afogamento. "Pele de galinha".
BERNT Docimacia do volume de água deslocado. Medida indireta do volume coração-pulmão
BERT E VIAMAY Sistema onfalográfico de. Identificação pela cicatriz umbilical
BERTILLON Sistema antropométrico de. Identificação pela medida dos: a) diâmetro longitudinal do crânio; b) diâmetro transversal do crânio; c) diâmetro bi-zigomático; d) tamanho dos dedos médio e mínimo; e) antebraço; f) pé esquerdo; g) altura da orelha direita; h)
BERTINI Método de. Identificação por sobreposição crânio-facial
BIASUTTI Classificação racial de. Classifica a espécie humana em australoide, negroide, mongoloide e europoide.
BICHAT Trípode de. Indicadores de morte. Verifica-se pela  cessação da respiração, da circulação e perda da consciência e sensibilidade.
BILLARD Sinal de. Cicatrização do coto umbilical ocorre entre o 12º e o 15º dia
BILLARD Sinal de. Infanticídio. Assinala a existência de quatro alvéolos dentários de cada lado da linha média, completamente separados, que coincidem com o momento da maturidade fetal, facilmente visto com a secção longitudinal da borda gengival.
BINET- SIMON Teste de. Avaliação do quociente de inteligência. Consiste em 60 provas distribuídas em 5 grupos para cada faixa etária entre 3 e 15 anos e 1 para os adultos.
BISCHOFF Câmara de. Caixa repleta de algodão rama para recolher projetil de arma de fogo para fins de comparação
BLACHEZ Forma ataxodinâmica de. Ação do calor. Efeito difuso. Trismo, rigidez da nuca, paralisia e abolição dos reflexos. Forma de elevada mortalidade, atingindo 50% dos casos.
BLÉCARD ponto de - ponto de ossificaçào fêmoro-epifisário
BLUMENBACH Norma de. Norma vertical. Crânio visto por cima, seus limites são: raiz do nariz e arcos orbitários (ant.); Protuberância occipital externa (post.); crista temporal do frontal e linha parietal superior(lat.).
BOKARIUS Cristais de. Pesquisa de espermatozóides. Apresentam-se de forma semilunar com o emprego de ácido fosfo-tunguistico
BOLEY Compasso de corrediça de. Antropometria. Paquímetro de pequena dimensão destinado a medição de dentes.
BONAFON Sinal de. Perda da transparência da mão. Fenômenos cadavéricos.
BONFILIS Tabela pondo-estatural de. Relaciona a idade do indivíduo com o peso e a altura.
BONNET Sinal do decalque de. Disparo sobre roupa de trama frouxa, onde a fuligem transpassa a roupa seletivamente, reproduzindo a trama do tecido
BONNET Regra de. Evolução da rigidez cadavérica. Inicia-se logo após a morte e atinge o máximo na décima quinta hora e desaparece lentamente com os fenômenos destrutivos
BONNET Sinal de. Sinal do funil. Determina o sentido do projetil de arma de fogo no osso, em especial no crânio. A tábua óssea primeiro rompida apresenta diâmetro menor que a segunda.
BONNET Sinal de. Rotura dos ligamentos cricóide e tireoideo em enforcados
BONNET Sinal de. Marcas da trama do laço em enforcados
BONNET Halo visceral de. Halo hemorrágico visceral circunjacente à entrada de projetis de arma de fogo, no coração e pulmões
BONNET Sinal de. Rotura das cordas vocais em enforcados
BONNET  
BONNET E CUELI Sinal de decalque de. Impressão da trama do tecido externo no interno, em casos de disparo encostado. Efeito peneira.
BORDAS Docimasia radiográfica de. Aspecto radiográfico pulmonar através do tórax fechado. Caso tenha ocorrido respiração, os campos pulmonares são escuros, caso contrário, brancos.
BORDET Reação de. Sinônimo de reação de Uhlenhuth. Identifica sangue e esperma. O material suspeito é dissolvido em soro fisiológico e adicionado ao soro de coelhos que receberam previamente injeções de soro sanguíneo humano. A turvação indica que a amostra é da
BORDIER Sinal de. Prova diatérmica. Fenômenos cadavéricos. Aplicação de diatermia não provocaria nos cadáveres elevação da temperatura corporal devido à ausência de circulação periférica.
BORRI Halo ou zona equimótica escoriativa de. Orla de contusão e enxugo circunjacente ao orifício de entrada de projetil de arma de fogo
BORRI Critérios de. Morte súbita. 1) período pré-mortal breve 2) doença não grave e 3) aspecto de morte natural, sem elementos de violência
BORRI Classificação de. Fenômenos cadavéricos abióticos imediatos e abióticos consecutivos. Fenômenos cadavéricos transformadores destrutivos e transformadores conservadores
BORRI Classificação de. Agentes lesivos: a) mecânicos, b) físico, c) físico-químico, d) químico, e) bioquímico, f) biodinâmico e g) mista
BORRI-CEVIDALLI-LEONCINI Halo marginal equimótico escoriativo de. Orla de contusão. Elemento fundamental de identificação do orifício d entrada de projétil de arma de fogo.
BOTHY Docimasia alimentar de. Pesquisa de leite ou outros alimentos no estômago.
BOUCHARD Método de. Cálculo da superfície corporal por divisão da mesma em retângulos e triângulos
BOUCHUT docimásia óptica ou visual - respiração. aspecto esterno pulmonar
BOUCHUT Classificação de. 1883. Divide sinais abióticos imediatos e mediatos (consecutivos)
BOUCHUT Docimásia pulmonar ótica de. Pulmão que não respirou apresenta-se hepatizado
BOUCHUT Regra de. Permite estimar o tempo de morte pelo esfriamento corporal. Diminuição de 0,8 a 1,0 grau nas primeiras 12 horas; diminuição de 0,3 a 0,5 grau nas 12 horas seguintes. Aplicável em temperatura ambiente entre 5 e 15 graus
BOUCHUT Regra de. Necrômetro.
BOUCHUT Sinal de. Ausência de batimentos cardíacos por mais de 5 minutos à ausculta cardíaca indica morte real.
BOUCHUT Sinal de. À fundoscopia ótica, observa-se descoramento ou desaparecimento da papila do nervo ótico.
BOUCHUT Sinal de. Pupila é capaz de reagir à instilação de atropina até 4 horas após a morte.
BOUCHUT Sinal de. Ao exame oftalmoscópico, observa-se dilatação pupilar fixa devido à parada da circulação
BOUCHUT Sinal de. Rugas da córnea devido à desidratação cadavérica.
BOUCHUT Sinal de. Verifica a vacuidade da artéria central da retina nos casos de morte real
BOUCHUT E CASPER Docimasia pulmonar ótica de. Observação macroscópica da superfície pulmonar e de suas bordas
BOUCHUT E CASPER  
BOUCHUT-TAMASSIA Docimasia histológica de. Consiste na investigação microscópica das manifestações do parênquima pulmonar imediatamente após penetração de ar nos alvéolos.
BOUDIMIR Sinal de. O mesmo que a prova de Boudimir Levasseur
BOUDINIER E LEVASSEUR Sinal de. Aplicação de uma ventosa sobre a região epigástrica, surgindo reação no vivo em face do esvaziamento capilar.
BRASCH-GLAISTER Método de. “Método de Roentgen-fotocranianos”. Consiste em sobrepor uma fotografia da suposta vítima em uma chapa radiográfica do crânio em uma mesma escala dimensional.
BRAULI Docimásia hepática histológica de. Morte agônica/súbita. Baseado na demonstração de glicogênio intracelular hepático. Glicogênio se apresenta na forma de pequenas esferas brilhantes, de cor escura e dimensões variáveis. Sem glicogênio, o protoplasma terá coloração uniforme. Corante usado: iodo-iodado.
BRAXSTON-HICKS contrações uterinas
BREITINGER Fórmulas de. Determinação da estatura pelo comprimento dos ossos longos utilizando-se a tábua osteométrica de Broca.
BRESLAU prova de - ar no tubo intestinal - respiração.não é absoluta nem o positivo nem o negativo
BRIAND E CHAUD Equimose de. Lesão que se observa nos grandes lábios no estupro em menores de idade.
BRIAND E CHAUD Tempo de sobrevida. Adota o critério cronológico em que o infanticídio ocorre no momento do nascimento ou muito próximo deste.
BRISSEMORET E AMBARD Sinal de. Acidificação da polpa esplênica visto com o contato com o papel azul de tonassol que apresentará uma cor avermelhada.
BROCA Ângulo basilar de. Constituído pelos planos opístio-básio e básio-násio.
BROCA Ângulo occipital de. Constituído pelos planos opístio-básio e opístio-nasio.
BROCA Ângulo órbito-occipital de. Constituído pelo encontro do plano do buraco occipital e eixo da órbita.
BROCA Goniômetro de. Composto pela base que determina o plano aurículo-facial e que suporta o quadrante e o indicador que determina a linha facial e marca os graus do ângulo facial sobre o quadrante.
BROCA Índice claviculo-umeral de. Relação do comprimento da clavícula e comprimento do úmero.
BROCA Método de. Medida da capacidade craniana.
BROCA Plano de Orientação de. “Plano alvéolo-condileo”. Onde o crânio descansa no ponto alveolar de Cloquet e os pontos inferiores dos côndilos do occipital.
BROCA Tábua osteométrica de. Estima a estatura do indivíduo baseado no comprimento dos ossos longos.
BROUARDEL Circulação póstuma de. Evidenciação da vascularização subcutânea por sangue pressionado até estas regiões na fase enfisematosa da putrefação.
BROUARDEL Sinal de. Equimoses retrofaríngeas no enforcado
BROUARDEL “Anestesia prévia “de. Lesões traumáticas com o objetivo de produzir a perda da consciência ou redução da defesa observada, às vezes, no degolamento. (?)
BROUARDEL Cauda terminal de. O mesmo que cauda de rato de Lacassagne ou cauda de escoriação.
BROUARDEL Definição de. Morte súbita. “Acidente imprevisto em uma doença desconhecida que evolui sem chamar a atenção”.
BROUARDEL Enfisema aquoso de. O mesmo que Hiperaeria de Casper.
BROUARDEL Sinal do elevador de. Deformação infundibuliforme do ânus, raramente observado no coito anal.
BROUARDEL Zona apergaminhada de. Orla de contusão do PAF. Sua presença indica um sinal vital.
BROUHA-HINGLAIS-SIMMONNET prova de - camundongo macho - gravidez
BROWN-PISCACEK obstáculo ao toque do fundo de saco - gravidez
BRUCKE E KUHNE Teoria química de. Rigidez cadavérica é explicada como sendo devido à coagulação da miosina das fibrilas musculares.
BRUHIER Sinal de. Picada na mucosa nasal. A falta de resposta a este estímulo comprova a perda da sensibilidade sugerindo morte real.
BUDIN-ZIEGLER Docimásia úrica de. No natimorto, o exame histológico da região medularo do rim não exibe sedimentos de ácido úrico.
BUNKER Método de. Objetiva fazer desaparecer as cristas papilares por meio da uma plaina mecânica e impedir a identificação.
BURGER E BENDES Prova de. Consiste em introduzir um osso em uma solução de sulfato de cobre. Se existir ácido graxo, o osso tomará uma coloração verde.
BURTON Orla de. Deposição na gengiva ao nível dos caninos, incisivos e pré-molares, de tonalidade cinza azulado, que se observa na intoxicação por chumbo.
BYWATER Síndrome de. Quadro de anúria e elevaçãoo da taxa de uréia no sangue observado nos esmagamentos do MMII.
CAFFEY-KEMP Síndrome de. Conjunto de lesões externas e internas vistas em crianças de tenra idade, vítimas de espancamento periódico e sistemático
CALISSEN Classificação de. Geladura 1o grau: eritema; 2o grau: veiscação; 3o grau: gangrena
CAMILO SIMONIN Sinal do emblema de. Dois anéis concêntricos de fumaça na roupa em torno da entrada de tiros efetuados sobre a roupa
CAMPBELL E KUHLENBECK Fratura “descontinuada “de.  Fraturas no crânio decorrentes da vibrações e propagações  da energia cinética do projetil.  Não estão relacionadas aos orifícios de entrada e saída.
CAMPER Ângulo facial de. Constituído pela linha horizontal de Camper (centro do conduto auditivo externo e espinha nasal) e linha facial de camper (tangente à fronte e aos incisivos medianos superiores.
CAMPER Ângulo maxilar de. Constituído por 1o linha facial de Camper e tangente aos incisivos medianos inferiores ao mento.
CAMPER Norma de. Visto de perfil, o crânio apresenta uma curva geral do ponto alveolar ao opístio. Este contorno serve para estudos comparativos e determinar as características da raça.
CAMPER Plano de orientação de. Linha que vai da espinha nasal ao centro do conduto auditivo.
CAMPION Índice cuspidiano de. É a relação centesimal entre a largura do arco e o comprimento do arco.
CANUTO E TOVO Orla detersiva de. O mesmo que orla de enxugo e contusão. Anel de Fish.
CANUTO-ZANELLI Método de. Datiloscopia em cadáveres macerados. Consiste em enfumaçar os dedos após prévia fixação em solução de fomalina e desidratação em álcool metílico. Depois se injeta nas polpas digitais uma solução de parafina ou goma de óxido de zinco.
CAPARULO E DORREGO Técnica de. Identificação dactiloscópica em cadáveres putrefeitos utilizando-se tiras de polietileno impregnadas com tinta de uso dactiliscópico.
CAPDEVILLE Sistema oftométrico de. Identificação baseada na cor e na medida dos olhos.
CAPELLI Teste de. Simulação de doença mental vistas nas Sd. Sem caracteres atípicos, sintomatologia contraditória, combinação de sd. distintas, simulador admite ser louco, respostas evasivas, etc.
CAPURRO Índice de. Determinação da idade gestacional do feto.
CARABELLI Tubérculo de. Cúspide acessoria representada por uma eminência de forma e dimensões variadas encontrada na face lingual, no nível da cúspide mésio-lingual. Visto como característica morfológica do grupo racial caucasoide.
CARRARA Mapa Mundi de. Fratura com afundamento parcial e uniforme, que ocorre em ação contundente sobre o crânio, em cujo osso afetado observa-se, partindo do foco de fratura grande número de fissuras arqueadas que imitam os meridianos e paralelos no mapa mundi esférico. Se deve a um impacto vertical, porém de menor intensidade que na lesão em "saca-bocados" de Strassmann.
CARRARA Orla detersiva de. O mesmo que Anel de Fish.
CARRARA Sinal de. “Mapa mundi de Carrara”. Fratura com afundamento parcial e uniforme que ocorre em ação contundente sobre o crânio.
CARRARA E ROMANESE Atitude de esgrimista ou de saltimbanco nos carbonizados. O mesmo que sinal de Devergie ou de Brouardel.
CARREA Índice de. Utiliza-se de duas fórmulas para estimar a estatura máxima e mínima utilizando-se, respectivamente, a corda e do arco formados pelo incisivo central e lateral e canino do mandibular.
CASPER fórmula de - velocidade de putrefação ----- 1 semana ao ar livre = 2 na água = 8 na terra
CASPER Docimásia diafragmática de. Se baseia na observação da posição do ápice da curva diafragmática no feto que tenha respirado ou não.
CASPER Hiperaeria de. Enfisema subpleural devido à rotura dos alvéolos.
CASTELLANOS Método de. Método dactiloscópico que consiste na impregnação das polpas com carbonato de bismuto ou chumbo e radiografar.
CAZZANIGA Docimásia urinária de. Baseia-se na maior permeabilidade renal com consequente aumento da glicosúria na morte súbita.
CEVIDALLE Cone de dispersão de. Rosa de dispersão do chumbo no caso de projéteis múltiplos.
CHADWICK Sinal de. Sinal presumível de. Cianose da vagina que ocorre em torno da 6a semana.
CHAMBER sinal de - vesículas ou flictenas, c/ líquido amarelo-claro, seroso, rico em albuminas e cloretos - Queimadura 2º grau
CHAVIGNY Prova de. Diagnóstico de morte por hemorragia que consiste na submersão de um pedaço do fígado. Se positivo, ao se cortar o pedaço em fragmentos, a água se tingirá de um róseo brando.
CHAVIGNY Orla detersiva de. O mesmo que Anel de Fish.
CHAVIGNY Regra de. Quando um projétil produz uma fratura estrelada no crânio, um segundo disparo terá seus raios de fratura interrompidos nos pontos em que se encontram as linhas de fratura do primeiro disparo.
CHAVIGNY Sinal de. Quando duas feridas se cruzam, a segunda lesão produzida sobre a primeira não segue um trajeto em linha reto.
CHAVIGNY Zona de tatuagem de. Resultante da pólvora incombusta incrustada na pele que não se removem com o lavado.
CHAVIGNY-SIMONIN Sinal de. Aplica-se uma gota de ácido sulfúrico na pele do indivíduo. Se formar uma escara negra, este se encontra com vida, caso contrário formar-se-á uma placa apergaminhada.
CHISTOFREDO JAKOB Técnica de. Abertura de cadáver com incisão em cruz. 1o – incisão mento-pubiana (Virchow); 2o – Incisão transversal na altura da cicatriz umbilical permitindo a máxima visualização do abdome.
CHRISTINSON Sinal de. Presença de eritema, edema e dor local nas queimaduras de 1o grau.
CLAUDE BERNARD-LACASAGNE Estrangulado branco de. Fenômeno de inibição ou choque laríngeo mesmo com pressões relativamente pequenas, determinando parada cardíaca. Situação onde não se observa os sinais clássicos de asfixia.
CLOQUET Ângulo facial de. Constituído pela linha aurículo-alveolar e a linha facial.
CLOQUET Plano de orientação d. A linha horizontal começa na borda alveolar e termina no centro do buraco auditivo.
CLOQUET Prova de. Consiste na introdução de uma agulha de aço polido na massa muscular do bíceps, após meia hora, se houver vida, o aço se oxidará.
CLUZET E MEZEL Prova de. Eletrocardiograma negativo (sinal de morte). O mesmo que Einthoven-Hugenholz.
COHEN Método de. Introdução, pelo canal cervical, de qualquer líquido na cavidade uterina para descolamento do ovo.
COLLONGEST Prova de. Indica a ausência de vibração pulsátil do dedo da vítima quando levado ao ouvido do examinador.
COLLONGUES Sinal de. Abolição da motilidade e do tono muscular através do emprego do dinamoscópio ou necroscópio na morte real.
COLOSANTI Prova de. Pesquisa em mancha de saliva. Adiciona-se dez gotas de sulfato de cobre a 2%, se positivo, o material adquirirá uma coloração verde esmeralda.
COMESSATTI Docimásia supra-renal química de. Nas mortes agônicas, a presença de adrenalina se revelará com uma coloração vermelho vivo ao se introduzir um sublimado corrosivo.
CORIN Equação de. Esfriamento cadavérico. Baseia-se nas modificações do ponto crioscópico do sangue do cadáver.
CORIN E STOCKIS Técnica de. Pesquisa de plankton.
CORIN-STOCKIS Prova de. Visualização de espermatozoides coloridos pela eritrosina amoniacal na microscopia.
CORZO GÓMEZ Método grafo-papilar de. Fotografia direta das polpas digitais das mãos dos recém-nascidos.
COSCINO Teoria do movimento vibratório de. Projétil transmite o seu movimento vibratório a todos os corpos que contate produzindo lesões por ação indireta.
COSTA Método de. Baseia-se no fato de que na derme também se encontram os desenhos papilares, podendo-se fazer a identificação por meio destes.
CUNNINGHAM Índice lombar de. Obtido pela altura da face posterior do corpo vertebral x 100 dividido pela altura da face anterior do corpo vertebral.
CUVIER Ângulo facial de. Constituído pela linha aurículo-dental e a linha facial.
D’HALLUIN Prova de. Ausência de hiperemia conjuntival após instilação de éter no olho é indício de morte real.
DALLA VOLTA Classificação das feridas de degolamento de. Baseada na localização da ferida e sua relação com o suicídio, o degolamento criminoso e nos casos de transfixação.
DALLA VOLTA Halo contuso de. Orla de contusão e enxugo produzida pelos projéteis de arma de fogo.
DALLA VOLTA Processo de. Aspecto que assume a pele do cadáveres depositados em urnas hermeticamente fechadas adquirindo uma cor e consistência de couro recentemente curtido.
DALLA VOLTA Prova de. Consiste na injeção subcutânea de uma solução saturada de cloridrato ou sulfato de hidroxilamina, com o objetivo de revelar a mancha verde abdominal em formação, antecipando assim sua visualização.
DANIEL Docimásia métrica de. Os diâmetros transverso e antero-posterior do tórax aumentam logo após os primeiros movimentos respiratórios.
DASILVA Método de. Consiste na injeção, mediante uma agulha muito fina, introduzida por diante da borda livre da unha, atravessando a derme  para distender a polpa digital.
DAUBENTON Ângulo occipital de. Constituído pelo plano do buraco occipital, o plano de Daubenton (borda inferior da órbita) e o ipistion.
DAVIDSON E ROBERTSON-SMITH Técnica de. Diferenciação do sexo no sangue humano através da morfologia nuclear dos polimorfonucleados. Na fêmea, observa-se um nódulo cromatínico solitário em forma de “palito de tambor”. Aparece nos leucócitos maduros e raramente nas formas não segmentadas. O mesmo que cromatina sexual em outros tecidos somáticos.
DAVIS Sinal de. A secção arterial não mostra saída de sangue, em tendo havido parada da circulação. Observa-se ainda palidez arterial.
DAVIS Síndrome de. Agravamento fatal de uma enfermidade preexistente em decorrência de stress psicológico.
DE DOMINICIS Sinal de. Consiste em gerar uma escarificação na parede abdominal com um bisturi ou outro objeto cortante, aplicando, em seguida, papéis azul e vermelho de tornassol. Em caso de morte o papel permanecerá inalterado, enquanto o azul, sob ação da acidez tecidual, adquirirá coloração avermelhada.
DE LAET Sinal de. Modificação do pH do humor aquoso para mais ácido. A morte produz uma acidificação de todos os fluidos e tecidos do cadáver.
DÉJERINE Cortes de. Indicado nas lesões patológicas . Técnica de necropsia do encéfalo.
DEPREUX E MÜLLER Ângulo do rochedo de. Formado pelo conduto de falópio e o conduto auditivo, medido em graus angulares e que é exatamente de 100o no feto a termo. Não se altera com a calcinação.
DEVERGIE Definição de. Manchas cutâneas que aparecem nas zonas de declive do corpo como resultado do deslocamento do sangue pela ação da gravidade.
DEVERGIE Sinal de. Posição do boxeador. Aspecto que toma o cadáver de vítima de queimadura grave ou carbonização, em que os braços ficam semi-fletidos.
DINITZ-SOUZA Docimasia de. Consiste na verificação da presença de saliva no estômago do RN.
DOMINICIS Cristais de. Pesquisa de espermatozoide adicionando-se uma gota de solução aquosa saturada de tribrometo de ouro. Se positivo, obtém-se cristais quadrados, em cruz, de cor vermelho-granada e formas alongadas amarelas (devido à colina e a espermina)
DONNÉ Sinal de. Incoagulabilidade do sangue que se observa no morto.
DOTTO Sinal de. Rotura da bainha mielínica do vago em enforcamento
DOWNS Ângulo de convexidade de. Ângulo formado pela linha dos pontos násio, subespinhal e pogonion.
DOWNS Ângulo facial de. Ângulo formado pela interseção da linha násio-pogonion com o plano de Frankfurt.
DUBOIS Processo de. Embalsamento. Consiste em injeções subcutâneas e intracavitárias de líquido desidratantes e antissépticos, geralmente o álcool amilico.
DUBOIS E LACASSAGNE Processo de. O mesmo que processo de Dubois.
DUNGERN-HIRSZFELD Lei de. Estuda da herança dos fatores ABO. Aglutinógenos A e B não podem estar presentes em filhos cujo nenhum dos pais tiverem estes.
DUPERTUIS E HADDEN Fórmulas de. Determinação da estatura do indivíduo baseado no comprimento dos ossos longos. As medidas são tomadas com a tábua osteométrica de Broca.
DUPONT Sinal de. Decorre da perda líquida por evaporação nos cadáveres. Feto à termo: 8g/kg/dia; adulto: 10-18g/kg/dia.
DUPUYTREN Classificação de. Queimaduras. 1o grau – eritema; 2o grau – flictena; 3o grau – desorganização da epiderme com comprimento da camada de malpighi; 4o  grau -  destruição completa da pele; 5o formação de escaras negras; 6o – carbonização.
DUQUÉNOIS Prova de. Pesquisa de cannabis. Ao extrato, em éter de petróleo, junta-se ao reativo composto de valina, aldeído acético e álcool 95%  e depois ác. clorídrico concentrado. Se positivo, o material adquire coloração verde-mar, depois violeta e violeta intenso.
EINTHOVEN – HUGENHOLZ Sinal de. Eletrocardiograma negativo. Duas provas negativas realizada em um intervalo de 15 min. indica morte real.
EMA DE AZEVEDO Tabela de. Determinação da idade entre 0-14 anos correlacionando o peso, idade e sexo.
EPÔNIMO Descrição
ERNESTINO LOPES Tabela de. Estima a idade baseado as alterações do ângulo mandibular.
ÉTIENNE – ROLLET Tábuas de. Tabelas que relacionam a proporção de ossos longos com a estatura do indivíduo.
ÉTIENNE MARTIN “Fígado e rins asfíticos”. Congestão mais intensa que se observa nestes órgãos e no mesentério nos casos de asfixias e especialmente nos afogados.
ÉTIENNE MARTIN Choque alveolar de. Ação traumatizante devido à penetração da água nos pulmões.
ÉTIENNE MARTIN Docimasia pulmonar epimicroscópica de. Emprega a epimicroscopia para a realização da docimasia ótica de Bouchut.
ÉTIENNE MARTIN Sinal de. Aspecto exangue do baço devido a suas intensas contraturas que se observa durante as fases da asfixia.
ÉTIENNE MARTIN Fígado asfítico de. Congestão do fígado com eventuais focos hemorrágicos no afogado devido ao aumento do volume circulante.
ÉTIENNE MARTIN Sinal de. Congestão polivisceral, em especial do fígado e mesentério.
ÉTIENNE MARTIN Sinal de. Desgarramento da túnica externa da carótida primitiva no enforcamento.
EULENBERG Reação de. Prepara-se uma solução de cloreto de cálcio a 1/3 junto a hidróxido de sódio e sangue. Se o sangue contém carboxihemoglobina, se obterá uma coloração vermelho-carminado.
FISCHER Técnica de. Abertura de cadáver. Incisão em “Y” invertido.
FISH Anel de. Conjunto da orla erosiva e de enxugo que se observa em torno do orifício de entrada de projétil de arma de fogo.
FLECHSIG Corte de. Técnica de necropsia do encéfalo cortando-se da face externa para interna de modo que a secção passe pela cabeça do núcleo caudado e pela parte média do tálamo ótico.
FLEISCHMANN-KANN Prova de - peixe japonês - gravidez
FLORENCE cristais de - esperma
FLORENCE Reação de. Mecônio. Identificação da urobilina que se destaca com uma fluorescência verde contra um fundo negro ao espectroscópio.
FLOURENS Núcleo vital de. Centro regulador reflexo cardiorrespiratório, localizado no vértice inferior do IV ventrículo junto ao canal medular.
FLOWER Índice de. Índice dentário representado pela fórmula: LF = comprimento premolar + molares x 100 dividido pela distância básio-násio. Este índice relaciona o comprimento jugal dentário com a base anterior do crânio.
FLOWER Índice de. Representado pela fórmula: comprimento dentário x 100, dividido pelo comprimento básio-násio, obtendo-se a classificação das raças conforme o volume dos dentes.
FLOWER Índice gnático de. Calculado pela fórmula: distância básio-alveolar x 100 dividido pela distância násio-básio.
FLOWER E TURNER Classificação de. Classificam-se os crânios conforme o seu volume em microcéfalos : x – 1350cc; mesocéfalos: 1350 – 1450cc; megacéfalos: 1450 -  xcc.
FORQUE E JE’ANBRAU Tabela de. Estabelece os prazos médios de consolidação das fraturas ósseas e a duração média da incapacidade temporária conforme o tipo de osso.
FORRESTER Método de. Pesquisa bioquímica de álcool. Faz-se o indivíduo expirar através de um tubo contendo perclorato de mercúrio. Baseia-se na relação álcool-dióxido de carbono do ar expirado.
FOUQUET Classificação de. Distingue 3 tipos de alcoolismo crônico. A) Alcoolite – grandes bebedores apresentando quase sempre alterações psíquicas tardias. B) Alcoólose – bebedores episódicos e neuróticos com tolerância pouco elevada ao álcool, ao qual não conseguem, entretanto, renunciar. C) Somalcoolose – avidez brusca e transitória para o álcool, nenhuma tolerância e acessos de embriaguez patológica associados.
FOURCADE – FRUHLING – OZTUREL Síndrome de. Sufocação de RN. Congestão generalizada do parênquima pulmonar em relação com a congestão muito acentuada das paredes alveolares, hemorragias intralveolares localizadas com hemácias intactas e recentemente extravasadas.
FOX E LYON Classificação de. Classifica o alcoolismo segundo o mode de aparição da enfermidade e conforme os sintomas e desordens mentais e/ou sócias que predominam. Sendo então a) Sintomático; b) Primário e c) Secundário.
FRANÇA Orla desepitelizada de. Orla de escoriação que se observa no orifício de entrada de projétil de arma de fogo.
FRANÇA Prova hemato-arteriovenosa de. Coleta-se em separado o sangue das artérias e veias de um membro e, em seguida, dosa-se a taxa de ambos. Se a taxa de oxihemoglobina for mais alta no sg arterial, é indicativo de ter havido respiração.
FRANÇA Sinal de. Rotura da túnica interna da carótida primitiva em forma de meia lua no esganado.
FRANCHINI Classificação de (1985). Considera fenômenos iniciais: Acidificação dos tecidos, esfriamento corporal, livores, rigidez, desidratação tecidual. Fenômenos sucessivos: autólise, maceração, putrefação, saponificação, corificação e mumificação.
FRANKEL Sinal de. Halo de esfumaçamento nos tiros com projéteis de arma de fogo à curta distância.
FRANKFURT Plano de orientação de. O mesmo que plano de Virchow. Compreende quatro pontos: as bordas superiores dos orifícios auditivos eternos e as margens inferiores das duas órbitas.
FREDERICO OLORIZ Método de. Datiloscopia. Admite quatro figuras (os de Vucetich)
FRIEDBERG Sinal de. Sufusão adventícias grandes vasos cervicais / sufusão hemorrágica da túnica externa da carótida comum. Enforcamento.
FRIEDBERG  
FRIEDMANN – HOFFMAN – TALLES MARTINS Reação de. Injeção de urina de mulher supostamente grávida em coelha. Se ovular, indica positividade.
FRIESS Reação de. Identificação de rastros de pólvora. O reativo empregado consta de duas soluções: 1 – solução a 150ml de ácido acético  e ácido sulfanilico. 2 – Solução em 20 mL água fervidos 10 centigramas de b-naftil-amina sólida.
FRIGÉRIO Sistema otométrico de. Registro da distância entre o pavilhão auricular e a parede craniana.
FRÓES DA FONSECA Índice de. Consiste na relação do comprimento da tíbia e a distância bi- crista ilíaca.
FRÓES DA FONSECA Índice de. Relação comprimento da tíbia e a distância bi-crista ilíaca. Investigação da raça no esqueleto.
GAJARDO Definição de Medicina Legal.
GALENO Prova de - compressão de fragmentos pulmonares submersos libram ou não bolhas
GALENO-RAYGER-SCHREGER Docimasia pulmonar de. O mesmo que docimasia hidrostática de Galeno.
GALIPPE E BEAUREGARD Prova de. Pesquisa de tecido nervoso. Identificação de elementos celulares que se colorem distintamente após processo com álcool ou por ácido osmótico adicionando-se um corante de carmim. O ác. osmótico permite a coloração de neuroglias.
GALLI-MAININI prova de - sapo - gravidez
GALLOWAY Fórmula de. Determinação da perda da estatura em maiores de 45 anos.
GALTON Linha de. Permite contar o número de linhas entre um delta e o centro do sistema nuclear.
GALTON – HENRY Método de. Consiste em quatro figuras chaves 1-Arco; 2 – Presilhas (ulnar e radial); 3 – Verticilo; 4 – compostas.
GAYET – WERNICKE Doença de. Energias de ordem bioquímica. Encefalopatia carencial decorrente de avitaminose B1. Inanição
GAYET – WERNICKE Encefalopatia de. Alcoolismo. Sd. devido a lesões centrais do sistema nervoso, atingindo preferencialmente os centros reguladores neurovegetativos, periventriculares e os tubérculos mamilares sendo neurologicamente chamada de poliencefalite superior hemorrágica.
GEOFFROY DE SAINT HILAIRE Plano de orientação de. Tem por base uma linha que parte horizontalmente da borda livre do dente incisivo ao centro do conduto auditivo.
GEOFFROY DE SAINT HILAIRE Ângulo facial de. Constituído por uma linha vertical tangente ao ponto mais saliente da fronte e a extremidade dos dentes incisivos médios e, uma linha horizontal que passa pelo buraco auditivo e a borda dos incisivos médios. O mesmo que ângulo facial de Curvier.
GERDY Fontanela de. Situada no obelion. Quando se apresenta tem forma romboide. Observada nos transtornos da ossificação fetal.
GILBERT Orla de. Deposição de tom amarelo avermelhado que se observa na gengiva de indivíduos com intoxicação crônica pelo mercúrio.
GILES E ELLIOT Método de. Determinação da raça utilizando-se a medida do comprimento glabelo-metalambda; eurio-eurio; básio-bregma;zigio-zigio; próstio-násio; básio-násio.
GILLES E ELLIOT Fórmula de. Determinação do sexo pelas medidas glabelo-metalambda; básio-násio; zigio-zigio; básio próstio; próstio-násio.
GLAISTER Fórmula de. Avalia o tempo de morte baseado no esfriamento do cadáver.  Calculado a partir da temperatura retal normal e a temperatura retal do cadáver.
GLESER E TROTTER Tabela de. Estimativa da estatura do esqueleto.
GODDARD Método de. Identificação de projétil de arma de fogo através de um microscópio de comparação,  colocando as balas nos suporte e a visão simultânea através da ocular.
GOHN Método de. Na necropsia, modificou a técnica de Rokitansky introduzindo a extração dos órgãos em bloco.
GOMES Definição de Medicina Legal
GRIESINGER técnica de - corte da calota craniana no plano horizontal, dois centíumetros acima da glabela.
GROSSMAN Compasso de espessura de. Aparelho utilizado para medir a espessura dos dentes.
GUÉRIN E FRACHE Prova de. Registro eletrocardiográfico sem ou com aplicação de adrenalina. A ausência de atividade elétrica indica morte real.
GUSTAFSON Técnica de. Estimativa da idade baseado nas alterações dentárias (desgaste das superfícies, periodontose, desenvolvimento secundário da dentina, etc.)
HABERDA Sinal de. Presença de água no intestino. Prova de submersão vital.
HADERUP Sistema de. O mesmo que sistema de Palmer. Muda-se apenas os sinais + e – para designar os dentes superiores e inferiores respectivamente.
HALBAN Sinal de. Sinal de probabilidade de gravidez devido à lanugem.
HALLEN Rede de - contorno venoso das mamas grávidas
HALLER Sinal de.  Sinal de probabilidade de gravidez pela visualização da rede venosa superficial das glândulas mamárias.
HALLUIN Sinal de.  Instilação de uma gota de éter na conjuntiva ocular para confirmar a morte.
HARGER Método de. Pesquisa bioquímica de álcool utilizando-se uma mistura de permanganato de potássio e ácido sulfúrico, a qual é atravessada pelo ar expirado, sendo então o álcool oxidado, descorando o permanganato de potássio.
HARMAND E HAMY Goniômetro lateral de. Utilizado para medição de ângulos faciais diversos. Determinação da raça
HARRINSON E GILROY Teste de. Residuograma das mãos da pessoa que supostamente efetuou o disparo. Ao contrário do teste de parafina que detecta a presença de nitratos e nitritos, esta reação detecta especificamente antimônio, bário e chumbo aumentando a especificidade do exame.
HARRIS Linhas de. Linhas radiopacas que aparecem nas zonas metafisárias relacionadas à parada de crescimento do indivíduo correspondente a a alguma enfermidade sofrida.
HASSE Fórmula de. Relaciona a idade do feto com o comprimento vértex-calcâneo.
HAVERS Canais de.  Determinação da espécie. Nos humanos são elípticos ou irregulares, maiores e em menor quantidade em comparação a outros animais que são menores, em maior quantidade e circulares. Os osteoplastos são filiformes com canalículos retilíneos, regulares, anastomosados e longos no homem.
HEGAR Sinal de Probabilidade de Gravidez. Depressibilidade do istmo.
HEINDL Método de. Identificação dos cadáveres frescos. Utilização de uma solução de parafina e glicerina quente a fim de dar consistência às polpas digitais.
HEINZ – PETIT – MARIE Índice mandibular anterior de. Relação centesimal entre o comprimento mandibular anterior e a largura interpremolar.
HELWIG Sinal de. Fratura do corpo da cartilagem tireóide no enforcamento.
HENCKE Definição de Medicina Legal
HENRY “Central pocket loops”de. É um verticilo; tem dois deltas; mesmo aparentando ser uma presilha, pode-se observar o centro espiral.
HERING Reflexo de. Morte funcional inibitória. Decorre de uma irritação nervosa (excitação), de origem externa, exercida sobre certas regiões, provocando por via reflexa a parada cardiorrespiratória por estimulação dos centros bulbares.
HESS Técnica de Tanatognose de. Injeção intracardiaca de adrenalina.
HILÁRIO DE VEIGA DE CARVALHO Prova de. Recomenda a injeção de solução milisemal de adrenalina através do ponto de Szubinsky diretamento no miocárdio, em se tratando de morte aparente. Seria uma forma auxiliar de tratamento.
HILÁRIO VEIGA DE CARVALHO Docimásia de. Docimasia supra-renal histológica. Baseia-se na presença do pigmento feocrômico que se localiza na medular da glândula.
HILÁRIO VEIGA DE CARVALHO Docimásia de. Docimasia epimicroscópica pneumo-arquitetônica. Baseia-se no exam da superfície externa dos pulmões pelo ultra-opak. Se positivo, observa-se sobre o fundo negro figuras arredondadas, brilhantes, de tamanho uniforme refletidas pelos alvéolos cheios de ar.
HILLER Forma asfítica de. Ação do calor. O mesmo que apoplexia térmica de Jansion.
HIPÓCRATES Sinal de. Fácie cadavérica ou hipocrática observada nos estados gerais extremamente graves e nos agônicos.
HOFFMANN Câmara de mina de, Buraco de mina de, eversão das bordas do tecido, de forma estrelada, com presença de vestígios de pólvora, presentes em entrada de projetil de arma de fogo disparado encostado em região com tecidos moles delgados sobre superfície óssea, como ocorre na calvária.
HOFFMANN Zona inflamatória de. Orla de contusão.
HOFFMANN “Golpe de Machado”de. O mesmo que arma “contuso-cortante”de Thoinot.
HOFFMANN Definição de Medicina Legal
HOFFMANN Escala visceral de fragilidade de. Em ordem decrescente: fígado, baço, pulmão, cérebro, rim, coração, etc.
HOFFMANN Sinal de. Consiste em uma fratura óssea triangular do crânio vista quando o agente contunde de forma tangencial.
HOFFMANN Sinal de. Fratura das apófises superiores da tireoide, no enforcamento.
HOFFMANN Sinal de. Infiltração hemorrágica dos músculos cervicais, no enforcamento.
HOFFMANN Zona apergaminhada de. Orla de contusão e enxugo em torno do orifício de entrada de projetil de arma de fogo.
HOFFMANN – HABERDA Sinal de. Consiste na presença de esfumaçamento no trajeto que realiza o projétil pela díploe. Indica disparo encostado ou à queima-roupa.
HOFFMANN-HABERDA Sinal de. Infiltração hemorrágica dos músculos cervicais. Enforcamento.
HOFFMANN-LESSER Sinal de. Fratura das hastes do osso hioide no enforcamento.
HOPPE – SEYLER – JORDERHOLM Prova de. O sangue oxicarbonado, desfibrinado paresenta-se soba forma de uma massa gelatinosa, de aspecto vítreo e cor vermelha (carboxiematina). O sangue normal forma uma massa vermelha escura e suja (oxiematina).
HORNER Sinal de. Aborto retido. Assimetria da calvária observada no exame radiológico.
HRDLICKA Incisivos em forma de pá de. Constitui uma característica morfológica da raça mongoloide.
HRDLICKA Técnica de. Medida da capacidade craniana por enchimento da cavidade através do buraco occipital. Pode-se usar de balins de chumbo, sementes de mostarda, etc.
HUGENHEULTZ Sinal de. Parada da circulação vista no traçado horizontal do eletrocardiograma.
ICARD docimásia respiratória. Retração pulmonar.
ICARD docimasia hidrostática por imersão em água quente - dilatação do mínimo conteúdo gasoso - respiração
ICARD docimásia óptica - vitropressão de pequenino fragmento - respiratória
ICARD Docimásia por libertação e sucessivo aprisionamento do ar alveolar (intra ou extra-toráxica) pipeta com pêra e agulha
ICARD docimasia hidrostática por aspiração - pletismografia com pressão negativa - respiração
ICARD prova da fluoresceina - vida
ICARD docimásia química - modificação por GABBI - solução alcoólica de potassa cáustica - respiratória
IMBERT Sinal de. Dor/ Simulação. O aumento da pulsação radial quando o indivíduo sustenta seu peso com o membro lesado indica a realidade da dor.
ITURRIOZ Teste de. Pesquisa de pólvora. Prova da Parafina.
J.R. FORTUNATO E R. ABARRACIN Técnica de. Baseado no mesmo princípio da técnica de Stockis, entretanto ao invés de utilizar a fotografia do datilograma invertido, utiliza-se a fotografia da fotografia.
JACQUART Goniômetro de. Medição de ângulos faciais. Semelhantes ao goniômetro de Broca.
JACQUART Ângulo facial de. Constituído pela linha horizontal aurículo-espinhal e a linha facial que passa pela parte mais saliente do centro da fronte e vem cruza linha AS na base da espinha nasal anterior.
JACQUEMIER/KLÜGE coloração violácea vaginal/vulvar - gravidez
JANEZIC – JELIAC Sinal de. Perda das características estruturais dos diferentes estratos da epiderme em que todas as células mostram-se iguais: fusiformes, estreitas e alongadas , com os núcleos comprimidos.
JANEZIC – JELIAC Sinal de. Diagnóstico diferencial entre queimadura intra-vitae e post-morte. Presença de exsudato leucocitário indica queimadura intra-vitae.
JANKOVIC Docimasia de. Impermeabilidade dos vasos umbilicais após o nasciment, tanto do cordão, como intra-abdominais.
JANSION Apoplexia térmica de. O mesmo que forma asfítica de Hiller. Hipertermia de 41o a 43o e morte em 7% dos casos.
JELLINECK Marca elétrica de entrada(artificial)
JELLINEK Classficação de. Alcoolismo é classificado conforme a gravidade de suas repercussões biopsicossociais em cinco grupos.
JELLINEK Fórmula de. Diagnóstico epidemiológico do alcoolismo.
JELLINEK Pérolas ósseas de. Opacificações esféricas observadas ao Raio X decorrentes da precipitação do cálcio pelo efeito joule. Visto nos acidente por eletricidade artificial.
JERLOW Método de. Pelmatoscopia (planta). Forma classificatória que utiliza o primeiro pododáctilo e as zonas correspondentes à cabeça do primeiro metatarsiano.
JODL Sinal de. Deformação elíptica/oval da pupila nas mortes cerebrais. O mesmp que sinal de Ripauld.
JOSAT Sinal de. Insensibilidade do mamilo visto nos casos de morte real.
JOULE Lei de. O calor desenvolvido por uma corrente elétrica é proporcional à resistência do condutor, ao quadrado da intensidade e ao tempo durante o qual passa pelo condutor.
KARL MEIXNER Prova de. Docimasia hepato-histologica. Pesquisa a quantidade de glicogênio no fígado. Diagnóstico diferencial entre morte súbita e agônica.
KASTLE – MEYER Reação de. Pesquisa de mancha de sangue utilizando –se água oxigenada e fucsina descorada. Se positivo, a solução tomará uma coloração carmim.
KATAYAMA Prova de. Pesquisa de CO através de gotas de sulfeto de amônia e ácido acético a 30%. Existindo CO, ficará vermelho claro.
KENYERS Plano ou sistema de. “Projeção em cruz” ou rebatimento topográfico do local de crime.
KERNBACH Sinal de. Sua positividade indica ferimento produzindo in vitae.
KIND Técnica de. Determinação do grupo sanguineo ABO pelos dentes.
KLÜGE Sinal de. Sinal de probabilidade de gravidez. Cianose da vulva.
KNEESE Índice de. Relação centesimal entre o comprimento do arco e a largura do arco.
KORSAKOFF Psicose polineurítica  alcoólica de. Ocorre preferencialmente em alcoólatras crônicos. Gera alterações no humor, excitação ou depressão, apatia e cefalalgia, alterações da memória acompanhados de confabulações.
KORSAKOFF Síndrome de. Observado no alcoolismo agudo onde tem-se transtornos de memória, desorientação e fabulações.
KOSSU Sinal de. Espasmo cadavérico parcial ou localizado quando o suicida aprisiona na mão a arma utilizada.
KRETSCHMER Caracterologia de. Advoga com a biotipologia, que o biótipo do indivíduo X, corresponde ao temperamento X.
KRÖNLEIN Disparo de. Expulsão de tecido cerebral pelo orifício de saída devido aos gases provenientes dos tiros encostados.
KUNCKEL Sinal de. Presença de produtos da degradação da hemoglobina (hemossiderina e hematoidina) em gânglios regionais da área lesada.
KUNCKEL E WELTZEL Prova de. Utiliza-se o sangue suspeito em solução de tanino, produzindo um pesado coágulo de tonalidade rósea que afundará nos casos de monóxido de carbono.
KÜSTNER Sinal de maturidade fetal de. Glândulas sebáceas ocluídas, exceto na pele do nariz.
LABORDE Sinal de. Tanatômetro. Termômetro cujo reservatório termina numa pnota aguda metálica para penetrar tecidos. Utilizado para medir a temperatura de grandes massas musculares.
LABORDE Sinal de. Oxidação de agulhas de aço, se houver vida o aço oxidará.
LACASAGNE Definição de Medicina Legal
LACASSAGNE Cauda de rato de. Cauda de saída. Lesão produzida por instrumento cortante, de aspecto linear, indicando o final da incisão. O mesmo que cauda terminal de Brouardel, cauda escoriativa ou cauda de saída.
LACASSAGNE Classificação de. Classificadas em localizadas, generalizadas e de sede especial.
LACASSAGNE Definição de Identidade.
LACASSAGNE Ferida em acordeon de. Exclusivo das lesões perfuro-incisas e punctórias. Ocorre em regiões de fácil depressão fazendo com que a trajetória da lesão possa ser maior que o comprimento do objeto.
LACASSAGNE Impressão ou placa apergaminhada de. Resultante da compressão da pele gerando destruição da camada córnea e esmagamento dos vasos capilares e linfáticos. Gera um apergaminhamento ao invés da crosta, observado no cadáver e sugerindo lesão vital.
LACASSAGNE Processo de. Descrição da localização do retalhos himenais tomando por base a situação dos ponteiros de um relógio.
LACASSAGNE E MARTIN Docimasia de. Docimasia hepato-química. Utilizando-se álcool à 90o e licor de Fehling, verifica-se presença de glicogênio e glicose respectivamente. Morte agônic/súbita
LACASSAGNE E MARTIN Tabela de. Estima a estatura do indivíduo baseado no comprimento dos ossos longos.
LACASSSAGNE Definição de Rigor Mortis.
LADERMAN Fórmula de. Diagnóstico epidemiológico do alcoolismo. A = volume de etano-dia/população de 20 anos ou mais. O volume de etanol consumido por dia pela população é avaliado por dados de venda de bebidas alcoólicas.
LANCISI Sinal de. Aplicação de ferro rubro na planta dos pés. Havendo vida, a queimadura resultará em sinais de reação vital (eritema, flictena e edema).
LANDIN Sinal de. Sinal presumível de gravidez. Amolecimento da junção cérvico-uterina.
LANGER Lei de. Quando uma lesão perfurante se assenta em uma zona da pele onde coincidem sistemas de fibras de direção divergente, mostra uma forma triangular.
LANGLEY Classificação de. Determinação do tempo da morte fetal intra-uterina. Baseado no aspecto da maceração. Grau 0: Pele tem aspecto bolhoso (<8horas); Grau 1: Epiderme começa a se descolar (8-20 horas); Grau 2: Pele apresenta extensa área de descolamento epidérmico e nas cavidades serosas apresenta efusões avermelhadas(>24 horas); Grau 3: Fígado apresenta coloração amarelo-amarronzada e as efusões das serosas tonram-se turvas (>48 horas).
LANGLEY Técnica de. Necropsia em recém-nascidos.
LAPICQUE Índice de. Índice radio-pelvico. Determinação da cor da pele. Consiste na relação do comprimento do rádio e a distância bi-crista ilíaca.
LASTES E TOVO Sinal de. Fragmentos de pele junto às veste ou no corpo, próximo a um orifício de projetil de arma de fogo. Indica orifício de saída.
LASTROWSKI Processo de. Embalsamento. Utiliza-se glicerina, álcool absoluto, cloreto de zinco, ácido fênico e bicloreto de mercúrio.
LAURILLARD Norma de. Permite apreciar a largura intermastóidea e a elevação da abóboda craniana. Também a curva subiníaca ou cerebelosa e o aspecto da protuberância occipital externa, assim como o desenvolvimento do inion e a forma e complicações da sutura lambdoidea.
LE BON Limite de. Diagnóstico de realidade da morte pela temperatura retal é admitida quando o corpo atinge 25o C.
LE DENTUT Cianose cérvico-facial de. O mesmo que máscara equimótica de Morestin.
LECHA MARZO Cabeça negra de. Coloração verde escura que se observa na face do cadáver do afogado depois de vários dias submerso.
LECHA MARZO Cristais de. Pesquisa de espermatozoide. Visualização de laminas hexagonais isoladas ou agrupadas e cristais arredondados com estrias radiadas. Após uso de gota de solução de ácido fofo-molibdico a 10%
LECHA MARZO Sinal de. Acidez do globo ocular visto com o uso de papel azul de tornassol que se torna avermelhado no caso de morte.
LECHA MARZO Técnica de. Abertura de cadáver. Incisão em “T” a) Incisão biclavicular b) incisão esternopubiana.
LEGRAND Sinal de. Perda de transparência dos meios oculares. Decorrente da desidratação.
LEGRAND DU SAULLE Esquema de. Diagnóstico diferencial macroscópico entre feridas vitais e feridas post-mortem. Lesões vitais: 1 - bordas da ferida espessada, infiltradas de sangue, endurecidas, separadas pela retração da derme ou dos tecidos subjacentes; 2 – hemorragia abundante com infiltração de sangue nos tecidos ao redor; 3 – Sangue coagulado no fundo da ferida ou sobre a pele
LEGRAND DU SAULLE Definição de Identidade.
LEGRAND DU SAULLE Definição de Medicina Legal.
LEGRAND DU SAULLE Espectro equimótico de. Alterações de cor que se observa no processo de resolução de uma equimose.
LEO Teoria de. O projetil, chocando-se com os elementos orgânicos, os transformaira em tantos microprojéteis dotados de ação de martelo e de cunha que resultaria um efeito explosivo à distância.
LEONCINI Classificação de feridas incisas de. Classificadas em lineares, semilunar, mutilantes, raspadura e excisão.
LEONCINI Mecanismo de rotura de.
LEONCINI E CEVIDALLI Docimásia de. Docimásia supra-renal química. Consiste no uso de reagentes específicos do tipo de Folin-Colin. A grande quantidade de adrenalina é indício de morte súbita.
LEONCINI E CEVIDALLI Zona ou halo equimótico escoriativo de. O mesmo que Orla de Fish.
LEROI-GOURHAM Classificação de. Classifica os crânios segundo a norma superior, vertical ou de Blumenbach em, ovóide, pentagóide, esfenoide ou esferoide, bem como as combinações destes.
LESSER Sinal de. Vesículas sanguinolentas no fundo do sulco; ruptura da túnica íntima da artéria carótida interna ou externa; ruptura transversal e hemorragia do músculo tino hióideo. Enforcamento.
LETULLE Técnica de. Técnica de necropsia. Faz-se uma grande incisão oval na face anterior do tórax e abdome para conseguir uma melhor visão do conjunto das vísceras das cavidades.
LEVASSEUR Sinal de Ventosas escarificadas de. Fenômenos cadavéricos. Recomenda a aplicaçãoo de uma ventosa ao corpo inerte. Se há vida, sai sangue.
LEVINSOHN Sistema oftalmoscópico de. Utiliza a fotografia do fundo do olho, baseando-se nas características individuais do nervo óptico.
LEVINSOHN Sistema radiológico de. Consiste nas medidas ósseas do metacarpo e metatarso através de imagens radiológicas.
LEVY sinal de. Dor/Simulação. Para pesquisar este sinal, orienta-se o paciente a olhar à distância e, depois, rapidamente, comprime-se a região dito dolorosa. Sendo real a dor, há dilatação e constrições repetidas da pupila até se fixar
LICHTENBERG Samambaia - raio cósmico
LIEBMANN Prova de. Utilização de solução de formalina a 10% para pesquisa de monóxido de carbono. Se positivo, obtem-se coloração vermelha. Se for normal terá coloração escura.
LLOPIS E SANTO DOMINGO Classificação de. Alcoolismo. Adota uma classificação polidimensional baseada nos seguintes elementos: hábito alcoólico, maneiras de beber e consequências tóxicas do álcool.
LOCARD Sistema poroscópico de. Baseado nas particularidades individuais dos poros da pele.
LOMBROSO Doutrina de. Teoria da criminalidade. Tem por base os seguintes elementos: o criminoso propriamente dito é nato, idêntico com o louco moral, com base epiléptica, explicável principalmente por atavismo e forma um tipo biológico e anatômico especial.
LOPES VIEIRA Definição de Medicina Legal.
LORENZINI Prova de. Simulação de coxear. Consiste em fazer o indivíduo andar de lado e surpreendê-lo. Esta manobra faz coxear o enfermo real.
LOUIS Sinal de. Flacidez do globo ocular. Perda da turgescência dos globos oculares devido à desidratação cadavérica.
LUIZ SILVA Método de. Consiste no registro dos perfis cranianos obtidos mediante um aparelho especialmente construído, o craneógrafo.
LUSSENA Classificação de. Queimaduras. 1o grau – eritema; 2o grau – formação de flictenas, com serosidade amarelada, contidas em elevações da pele; 3o grau – escarificação, lesão do tecido celular subcutâneo os quais se necrosam e tomam cor acinzentada; 4o grau – carbonização.
LUTAUD Definição de Medicina Legal.
MAC-DONALD flexibilidade do istmo - gravidez
MADIA Definição de Medicina Legal.
MAGNUS Sinal de. Ligadura do dedo. A constrição da raiz de um dedo acarretará, pela existência de circulação, em caso de vida, cianose e edema deste segmento.
MALINOWSKI E PORAWSKI Método de. Consiste em projetar uma fotografia do crânio e da face sobre fotografias pertencentes ao suposto indivíduo nos planos frontal e lateral.
MALVOZ Docimasia bacteriana de. Os fenômenos putrefativos no feto natimorto começam pelos orifícios da boca, nariz e ânus. Nos fetos que tiveram vida extra-uterina, inicia-se no tubo digestivo e sistema respiratório.
MANKOFF sinal de. Dor/Simulação. Consiste em por de repouso o paciente durante alguns minutos, depois de prévia contagem do pulso radial. Em seguida, rapidamente, comprime-se a região dita dolorosa e contam-se de novo os batimentos do pulso. Aumentados estes, permitem probabilizar a existência da dor
MANOUVRIER Fórmula de. Estima o peso do encéfalo multiplicando-se o volume craniano pelo coeficiente 0,87.
MANOUVRIER Método de. Medida da capacidade craniana. Modificado do índice cúbico de Broca.
MANOUVRIER Tábuas de. Estabelece a relação entre comprimento dos ossos longos e a estatura do indivíduo.
MANSUINO Prova de. Pesquisa de tecido nervoso. O exame revela coloridos em azul provenientes das camadas celulares do córtex.
MARC Definição de Medicinal Legal.
MARC Sinal de. Fungo de espuma interno, que se observa na traqueia e brônquios no afogamento.
MARCHIAFAVA – BIGNAMI Enfermidade de. Complicação muito rara do alcoolismo crônico sendo descrita em dementes alcoólicos que apresentam lesões de degeneração mielínica.
MARFAN Técnica de. Injeção intracardíaca de adrenalina a nível do apêndice xifóide no ventrículo direito.
MARIO MAGLIANO Reação de. Teste de Gravidez baseado no hormônio específico da gravidez.
MÁRIO PEREIRA DA SILVA Definição de Medicina Legal.
MARSHALL E HOARF Curvas de esfriamento de. Tomam em consideração o peso, a altura, a temperatura retal e a temperatura ambiente.
MARTIN Dígrafo de. Aparelho destinado a obter projeções ortogonais dos ossos.
MARTIN E SELLER Índice de. Relação entre largura e comprimento do arco mandibular.
MARY LYON Hipótese de. Estabelece a relação entre o número de cromossomos X e corpúsculos cromatínicos. Em qualquer célula somática, somente um cromossoma X é geneticamente ativo. Quanto a isso, os indivíduos com dotação extra de cromossomos X (ex. Sd. De Klinefelter) não difeririam quanto ao fenótipo, contrariando o que em realidade se observa na prática.
MATA Definição de Medicina Legal.
MATA Técnica de. Técnica de necropsia de indubitáveis vantagens para a abertura das cavidades no que segue, em linhas gerais, os métodos de Letulle e de Thoinot.
MATHEIOS Sistema Geométrico de. Consiste em comparar fotografias do rosto tomadas de frente, pertencentes a uma época anterior e à presente do mesmo suposto indivíduo.
MEES Estrias de. Leucoquinia. Alterações das unhas. Estrias transversais brancas que se manifestam nas unhas em algumas intoxicações como as produzidas por arsênico, mercúrio, ouro, chumbo, bem como em anemias crônicas.
MEGNIN Trabalhadores da morte de. Conjunto da fauna cadavérica. Agrupados em 8 esquadras de insetos de acordo com a fase de destruição do cadáver.
MEIXNER Docimásia hepática histológica de. Baseia-se na demonstração de glicogênio intra celular hepático. Este se apresenta no interior da célula hepática como pequenas esferas de cor avermelhada de dimensões variadas. Sem Glicogênio a célula hepática terá coloração uniforme. Utiliza-se o reativo de Paul Best.
MEYER Reação de. Diagnóstico genérico de sangue. Adiciona-se ao material suspeito 2 a 3 gotas do reativo de Meyer e de água oxigenada, obtendo-se coloração púrpura nas reações positivas.
MIDDELDORF Sinal ou prova de. Introdução de uma agulha no coração, se este estiver em atividade, suas contrações se transmitirão à extremidade livre da agulha.
MIRTO Docimasia do nervo ótico de. Consiste na análise micro e macroscópica da mielinização do nervo ótico que se inicia 12 horas após o nascimento.
MOLAND Sinal de.  Apergaminhamento das pregas do pescoço devido à desidratação cadavérica. Têm o risco de serem confundidas com sulcos do laço do estrangulamento.
MOLLAND Sinal de. Fricciona-se energeticamente determinado ponto da pele. 6 horas depois, observa-se a formação de uma placa apergaminhada, dessecada, de coloração amarelado escuro, positivando a morte.
MOLLISON Cranióforo de. Serve para situar o crânio segundo o plano de Frankfurt utilizando-se de varetas com fio. Determina-se pelos dois pórios e um ponto orbital.
MOLLISON Diptógrafo de. Aparelho destinado a obter projeções ortogonais do crânio mediante um bastido ou mesa transparente, através da qual se olha cada ponto do crânio através do diopter ou anteolho.
MOLLISON Goniômetro de. Permite medir um ângulo no horizonte ou com a vertical, ajustando-o ao calibre ou ao compasso de espessura.
MONTALTI Sinal de. Presença de fuligem ao longo das vias respiratórias.
MONTGOMERY Tubérculos de - gravidez
MORELL-LAVALLE Derrame de ou derrame seroso-traumático de. Ocorre nos casos de contusões em que o agente lesivo atua de forma tangencial em relação à superfície cutânea provocando seu desprendimento. Só se forma na região dorso-lombar e na face externa da coxa (locais onde a pele é mais deslizável sobre uma aponeurose resistente).
MORESTIN Máscara equimótica de. cianose céfalo-cervical.
MORGAGNI Sinal de. Fratura da apófise odontóide do áxis fratura do corpo de C1 e C2.
MORGAGNI Método de. Técnica de necropsia que reuniu conhecimentos primitivos e os organizou com método e ordem sistematizada.
MORGAGNI, VALSALVA, ORFILA, ROEMMER Sinal de. Fratura do corpo hióide.
MORGAGNI-VASALVA-DEPREZ Sinal de. Fratura do corpo da cricóide no enforcamento.
MOSS Prova de. Utiliza a técnica de Weber para avaliar a audição e identificar os simuladores.
MÜELLER Esquema de. Descreve o local e as características dos livores cadavéricos conforme o tempo de morte.
MÜLLER Sinal de. Dor/Simulação. Faz-se comprimindo regiões dolorosas e não dolorosas para identificar possíveis simuladores.
MÜLLER Técnica de. Afogamento. Pesquisa de plankton utilizando-se do sangue do ventrículo esquerdo, da aorta e cérebro.
MÜNCHHAUSEN Doença Psíquica na qual o paciente, de forma compulsiva, deliberada e contínua, causa, provoca ou simula sintomas de doenças, sem que haja uma vantagem óbvia para tal comportamento, exceto a de obter cuidados médicos hospitalares
NASSE Sinal de. Tanatômetro de Nasse. Consiste num termômetro adaptado para se medir a temperatura do estômago. Menos de 20o C é incompatível com a vida.
NELSON Tempo de sobrevida de. Limita o uso do termo infanticídio de duas a quatro semanas depois do nascimento.
NÉRIO ROJAS Docimásia tátil de. No pulmão que respirou, observa-se crepitação característica e sensação de fofura. O pulmão que não respirou tem consistência densa.
NÉRIO ROJAS Definição de Medicina Legal.
NÉRIO ROJAS Sinal do desfiamento em cruz de. Nos disparos efetuados sobre a roupa, consiste no desgarramento das fibras de tecido em forma de cruz que se faz na roupa e tem as bordas enegrecidas.
NEUMANN Hemossiderina de. Nas ações contundentes, devido à rotura de microvasos e consequente degradação do pigmento sanguineo, observa-se uma coloração azulada na pele íntegra que ocorre entre o quarto e sexto dia da lesão.
NEYDING Sinal de. Infiltrações hemorrágicas punctiformes no fundo do sulco.
NICOLAU-HOIGNÉ Síndrome de. Iatrogenia vista nas injeções de antibiótico na região glútea produzindo uma necrose isquêmica pela obstrução ou compressão da artéria glútea superior.
NIDERKORN Regra de. Rigidez cadavérica. Precoce: inicia antes de 3 horas; Normal: entre 3 – 6 horas; Tardia: entre 6 e 9 horas; Muito tardia: após 9 horas.
NILES Sinal de. Hemorragia Temporal. Coloração azulada na porção petrosa do temporal devido ao extravasamento de sangue para o interstício esponjoso da apófise mastoide e no ouvido médio que se observa no afogado.
NINA RODRIGUES Classificação de. Esquartejamento. Apresenta duas modalidades. 1 – ofensivo, quando em razões passionais comete-se tal crime; 2 – defensivo, quando se realiza posteriormente à morte para ocultar o cadáver.
NOBLE Sinal de. Sinal de probabilidade de gravidez. Hipertrofia do útero.
NUTTING Colrímetro de. Permite observar os livores cutâneos nos indivíduos da raça negra.
NYSTEN SOMMER Lei de - ordem de aparecimento do rigor mortis - mandíbula, nuca, tronco, mmss, mmii
OHM Lei de. A intensidade da corrente elétrica que atravessa um condutor, é diretamente proporcional à tensão elétrica e inversamente proporcional à resistência.
OLIVIER E TARDIEU Lesão de. Equimoses que ocorrem na face interna de um ou ambos os braços que se observa na sufocação indireta.
ORFILA Definição de Medicina Legal.
ORFILA Tábua de. Determinação da estatura e da idade do indivíduo. Analisa o comprimento proporcional do tronco e dos membros comparativamente com a estatura do indivíduo e sua relação com o comprimento dos ossos longos.
OSCAR FREIRE Classificação de. Asfixias. 1- modificações físicas do ambiente; 2- obstáculos mecânicos no aparelho respiratório; 3 – supressão da função da caixa torácica.
OSCAR FREIRE Processo de. Himens. Descreve a localização, número, aspecto e posição dos retalhos himenais, baseando-se na divisão do orifício vaginal em quatro quadrantes.
OSCAR FREIRE Classificação de. Himens. 1 – sem orifício; 2 – com orifício; 3 – atípicos.
OSEANDER pulsação na vagina - gravidez
OSIANDER Sinal de. Probabilidade de gravidez. Pulsação vaginal.
OTT Sinal de. Flictena explosiva. Aproximando-se ligeiramente uma chama da pele, a dessecação cadavérica determinará uma formação de bolha seca, que logo estala, dando saída ao gás aí acumulado. Se houver vida, a bolha formará em seu interior um líquido seroso/sero-sanguinolento.
OTTO Sinal de. Descolamento transversal da íntima da jugular no enformcamento.
OVA RIISSFELDT Teste de. Prova de conjunção carnal. Prova de certeza baseado na dosagem da fosfatase ácida prostática.
OWEN Norma de. Compreende todo o aspecto do crânio visto pela base onde deve-se consignar a forma, muito variável, do buraco occipital e os côndilos occipitais.
PAIS LEME Processo de. Embalsamento. Utiliza-se de formol, glicerina, acetato de sódio de sódio e água.
PALMA SCALA E BELLO Sinal de. Consiste na observação de calcificação dentária da cúspides dos segundo molares.
PALMER Sistema de. Separação dos dentes em números e hemiarcadas. O incisivo central recebe o número 1 e enumera-se até o terceiro molar que recebe o número 8.
PALMIERI Sinal de. O ponto crioscópico do sangue é menor nas cavidades esquerdas do coração do que nas direitas.
PALTAUF Manchas de - equimoses superficiais pulmonares - asfixia por afogamento - > Tardieu por hemólise
PARÉ Definição de Medicina Legal
PARROT Afogado branco de. Reflexo vagal que produz uma imediata parada cardiorrespiratória devido à penetração de líquido frio na árvore respiratória.
PARVILLE Fórmula de. Cálculo da estatura baseado no comprimento da sola ou a impressão do pé.
PEARSON Fórmula de. Medida da capacidade craniana.
PEARSON Fórmulas de. Determinação da estatura do indivíduo baseado no comprimento dos ossos longos, utilizando-se da tábua osteométrica de Broca e a partir das tabelas de Étienne Rollet, excluído-se as espessuras da cartilagem articular.
PEARSON Tabela de. Estimativa da estatura pelo esqueleto. Relaciona o comprimento dos osso longos, secos e sem cartilagem, com a estatura do indivíduo.
PEIRÓ E RODRIGO Definição de Medicina Legal.
PELLEREAU Sinal de. Enforcamento. Fraturas ligamentosas entre o corpo da primeira e segunda vértebra cervical.
PEROSINO Sinal de. Vibrações do epitélio respiratório. Fenômenos cadavéricos.
PERTHES Congestão compressiva de. Descreve a sufocação indireta (compressão do tórax gerando asfixia).
PIACENTINO Método de. Identificação por superposição de imagens.
PIACENTINO Sinal de. Pontilhado hemorrágico no piso do IV ventrículo. Este associado com a marca de Jellinek permite o diagnóstico de certeza de morte por efeito da eletricidade artificial.
PIACENTINO Técnica de. Abertura da calota craniana. Denominada de “técnica da tríplice angulação”.
PIÉDELIÈVRE Gola erosiva de. Orla de contusão dos disparos por arma de fogo.
PIÉDELIÈVRE Câmara de mina de. O mesmo que Câmara de Mina de Hoffmann.
PIÉDELIÈVRE Sinal do T de. Consiste na apreciação, ao nível do orifício de entrada, da superposição de três planos hemorrágicos da superfície por planos profundos.
PIÉDELIÈVRE Teste da leucocitose traumática de. Indica se a lesão foi feita intra vitae ou post mortem. A ausência de afluxo leucocitário no tecido celular que rodeia a ferida indica que a lesão foi feita post mortem, ou que a morte ocorreu de forma rápida, ou que a sobrevivência não durou mais que algumas horas.
PIGA PASCUAL Sinal de. Sinal das quatro fraturas. Fratura dos terços inferiores das pernas e terços médios dos braços observados nas precipitações de grande altura.
PIGA PASCUAL Sinal de. Consiste na observação radioscópica do coração, verificando a existência ou não de movimentos. No caso de imobilidade total, o contorno radiológico do órgão é nítido e preciso.
PISKACEK Sinal de. Probabilidade de gravidez. Alteração da forma uterina.
PITTERS Esquema de cortes de. Encéfalo. Em cada hemisfério, executa-se em seis cortes paralelos ao sulco de Roland.
PLACZEK Docimasia pleurica de. A cavidade pleural tem, normalmente, pressão negativo. Isto não é observado no feto que ainda não respirou.
PLAUQUET E CASPER docimásia respiratória - descida cúpula diafragmática
PLOCQUET Docimasia diafragmática de. Consiste na observação da convexidade acentuada das hemicúpulas diafragmática quando não houve respiração, e a horizontalização das mesmas quando o feto respirou.
POLL E WATELLE Enfermidade de. Fenômenos mórbidos graves que se observa em trabalhadores que trabalham a grandes profundidades (3 mil – 4 mil metros). Assemelham à Sd. de Descompressão ou Mal do Escafandrista.
PONSOLD Sinal de. Livores cadavéricos, em placas, por cima e por baixo das bordas do sulco.
PONSOLD Fases da asfixia por submersão.
PONSOLD Sinal de. Afogamento. Hemólise do sangue nas veias pulmonares.
PONSOLD Sinal do cone truncado de. O mesmo que sinal do funil de Bonnet.
POZO Técnica de. Consiste em se calçar o dedal epidérmico destacado pela maceração para obtenção de impressões digitais.
PRELLER Pelmatoscopia de. Estudo e classificação das impressões plantares para identificação do recém-nascidos.
PRENULLE Definição de Medicina Legal.
PRICHARD Norma de. Observa a disposição e as variações da fronte e da face.
PROFICHET Índice medular de. Relação entre o diâmetro mínimo do canal medular e o diâmetro mínimo da diáfise dos ossos longos.
PROKOP Sinal de. Consiste na introdução de correntes elétricas nos músculos da face por meio de agulhas. O músculo contrai até 3 horas após a morte.
PUCCINIOTTI Docimasia cardiovascular de. Consiste na verificação das alterações que ocorrem no sistema vascular da criança ao iniciar-se a respiração quando o  recém-nascido se desprende da mãe.
PUCCINIOTTI Docimásia de. Docimasia pneumo-hepática. Observa-se o peso específico do pulmão sendo menor que o do fígado no feto que respirou.
PULASKI E TENNISON Regra dos nove de. Método de cálculo da extensão de uma queimadura aplicando-se múltiplos de nove nas diferentes partes do corpo.
PULCQUET Docimasia ponderal de. Baseia-se na diferença do peso do pulmão em relação ao peso do corpo do feto que tenha ou não respirado.
PUPPE Sinal de. Persistência no cadáver da postura que tinha o corpo no momento da morte observado na morte por trauma do sistema nervoso central ou aparelho circulatório.
PUPPE – WERKGARTNER Sinal de. O mesmo que sinal de Werkgartner.
PUZOS aumento e oscilação uterina ao toque combinado - gravidez
QUATREFAGES Goniômetro parietal de. Composto por dois ramos verticais que se encontram lateralmente em contato com a sutura coronal.
QUATREFAGES Ângulo parietal de. Visto com o uso do Goniômetro Parietal de Quatrefages.
QUETELET Lei de. A frequência de uma determinada estatura diminui progressiva e simetricamente à medida que se afasta da média num ou noutro sentido. (ex. Se a média for 1,65m, o número de ind. com 1,70 será igual ao daqueles medindo 1,60).
RAMSEY Escala de. Escala de Sedação e analgesia.
RAND E CURVELLE Zonas de desintegração retardada de. Quando o projétil se aloja, a deformação dos tecidos cessa e as lesões que se lhes deixa podem ser graves e esses tecidos, de ambos os lados do trajeto, tomam a forma de manguito (“U”) em torno dele.
RAYER Fórmula de. O mesmo que sinal de Bouchut.
REBELO Sinal de. Prova do azul de bromotimol. Observa-se a acidez tecidual causada pela morte real quando se usa um fio de seda com azul de bromotimol e este, após introdução no cadáver, se torna amarelo-verdosa.
RÉBOUILLAT Sinal de. Injeção de éter através de uma agulha. Ao se retirar a agulha, o éter refluirá nos mortos e ficará retido e absorvido nos vivos.
RECHTER Método de. Consiste em recuperar as polpas digitais em estado de maceração através injeção de ar, glicerina ou parafina.
REIL-HEGAR 1º - depressibilidade do istmo, 2º possibilidade de drobrá-lo
REIMANN E PROKOP Tabela de. Estima o tempo decorrido de morte a partir da circulação dos vasos sanguíneos da retina.
RENTOUL E SMITH Fórmula de. Considera que o esfriamento do cadáver se dá, em média, na base de 1,5o C por hora.
RETZIUS fórmula de, largura do crânio multiplicada por 100, dividida pelo comprimento do crânio.
REUDIGER Técnica de. Injeção intracardíaca de adrenalina do lado esquerdo e próximo ao esterno no segundo espaço intercostal.
REUTER Método de. Consiste na injeção de água e glicerina na base dos dedos a fim de lhes dar mais consistência e elasticidade.
REUTER-STOCKIS Método de. Consiste em fotografar, pelo lado dérmico, a polpa macerada depois de se desprender a epiderme.
REYNA ALMANDAS Linhas brancas de. Zonas das impressões digitais que ficam sem marca, formando uma linha que corresponde a uma prega da pele.
RICHTER Método de. Consiste na injeção de vaselina líquida, na base dos dedos, a fim de lhes dar mais consistência e elasticidade.
RINN Prova de. Quando a agudeza auditiva está diminuída, utiliza-se esta prova para distinguir uma lesão no aparelho de transmissãoo (ouvido médio e externo) ou no aparelho de percepção (ouvido interno).
RIPAULT Sinal de. Após 8 horas da morte, exercendo-se a pressão digital lateralmente no globo ocular, pode ocorrer a deformação da Íris e da pupila.
RIVET Método de. Utiliza o triângulo facial (nasion, prostion e basion)  para calcular seus ângulos.
RIVET Ângulo facial de. Básio-próstio e próstio-násio.
RÖENTGEN Úlceras de. Zona de necrose, de aspecto grosseiro, classificada como radiodermite de 3o grau encontradas nos indivíduos que trabalham com raios X.
ROGER E BEIS Sinal de. Consiste em aplicar choque elétrico de corrente contínua. Se houver morte real, não se observará contratura muscular.
ROGER KOCHER Teoria de ação hidráulica de. Interpreta que na ação indireta do projétil de arma de fogo, o mesmo agiria como um pistão de bomba hidráulica, transmitindo em todas as direções a força que recebe.
ROJAS Docimasia tátil de. A palpação interdigital do pulmão dá sensação de fofura e crepitação, caso tenha havido respiração.
ROKITANSKY Método de. Descreveu o primeiro método ordenado e completo de necropsia embasado na dissecação das vísceras in situ, com remoção em bloco.
ROMANESE Orla detersiva de. O mesmo que Anel de Fish.
ROMANESE Sinal de. Halo contuso erosivo que se observa no orifício de saída de projétil de arma de fogo, quando o plano cutâneo se acha contatado externamente com um anteparo duro.
ROMBERG Sinal de. Desequilíbrio do coro quando o paciente é colocado em posição ereta, com os calcanhares unidos e olhos fechados.
ROSENZWEIG Teste de frustração de. Visto na fragilidade do ego presente em quase todos alcoólatras. Associa-se 5 elementos. 1 – baixa resistência à frustrações; 2 – astenia/debilidade emocional; 3 – infantilismo psicossocial; 4 – narcisismo; 5 – labilidade emocional.
ROUSSY E AMEUILLE Técnica de. Abertura do cadáver a nível da cartilagem cricóide seguido da técnica de Virchow.
ROYER E BESS Prova de. Consiste na aplicação de um eletrochoque de baixa voltagem transcerebral. No vivo, provocará uma contração muscular generalizada.
SACH Hematoma extradural por queimadura de. Deve-se ao acúmulo de sangue post mortem entre a dura-máter e a parede óssea endocraniana. Este sangue é proveniente dos seios venosos e da díploe dos ossos cranianos.
SARASIN Classificação de. Classificados em: oligoencéfalos (x-1300cc); euencéfalos (1301-1450cc); aristencéfalos (1450 – x cc)
SARNO Técnica de. Determinação da idade baseado no estudo radiológico da mão e punho.
SARNO Técnica de. Determinação da idade baseado no estudo radiológico do cotovelo.
SAVA Método de. Cadáver macerado. Consiste em lavar a epiderme das polpas digitais com água corrente e em seguida fixá-la com formol. Em seguida monta-se os fragmentos de pele sobre cartolina e, por fim, fotografa sem coloração das cristas digitais.
SCHERMAYER Definição de Medicina Legal.
SCHULTZ Sinal de. Aspecto serpentiforme devido à repleção dos capilares que se observa ao nível das bordas do sulco no enforcamento.
SCHUPPEL Sinal de. O sulco do estrangulamento.
SCHUSSKANOL Sinal de, presença de pólvora no início do trajeto do projetil de arma de fogo. Indica disparo encostado ou muito próximo.
SCHWALBE Índice de. Relação centesimal entre a largura entre as faces linguais dos terceiros molares e a distância da face mesial do incisivo central até a face distal do terceiro molar.
SERGI Classificação de. Classifica os crânio segundo a norma vertical em pentagonoide, elipsoide, romboide, ovoide, esfenoide, esferoide e brisoide.
SEVERI Docimasia hemato-pneumo-hepatica de. Baseia-se na determinação da taxa de hemoglobina no fígado e no pulmão. Se forem idênticas, não houve respiração.
SHOURUP Fórmula de. Determinação do tempo de morte levando em consideração a temperatura corporal e três elementos químicos do líquor (ácido láctico, nitrogênio não protéico e ácidos aminados).
SILVERMAN Síndrome de. O mesmo que “Battered Child Syndrome
SIMONIN estrias pneumáticas de, Estrias de pneus de automóveis deixadas no corpo da vítima
SIMONIN Sinal do emblema (“escarapela”) de. Nos tiros efetuados com uma arma curta e com o cano encostado sobre a roupa, consiste nas duas zonas concêntricas escuras separadas por uma clara, circundando o orifício produzido pela passagem do projétil, evidenciado sobre a face interna da vestimenta.
SIMONIN Definição de Medicina Legal.
SIMPSON Fórmula de. Tempo de morte. Cadáver vestido e exposto ao ar livre perde 1,4o C por hora nas primeiras seis horas e 0,8 – 1,1o C nas doze horas seguintes. Assim, os órgãos internos se igualam com a temperatura ambiente num período de 20 – 24 horas.
SMITH Índice de. Comprimento do rádio e comprimento do úmero. Investigação da cor da pele.
SMITH Índice de. Comprimento da tíbia e comprimento do fêmur. Investigação da cor da pele.
SODERMANN – FONTELL Método de. Dactiloscipia em cadáveres submersos. Consiste em extrair a pele de cada dedo em pedaços retangulares que são fixado em formol e conservados em tubos.
SOLA – ORELLANA – GONZALES Teste de. Teste biológico de gravidez que consiste na injeçãoo peritoneal de urina de mulher supostamente grávida em ratos.
SOLKOWISKI Reação de. Sangue normal tratado por solução aquosa de hidrogênio sulfurado torna-se esverdeado pela formação de sulfemetemoglobina. O sangue oxicarbonado não se altera.
SOLOMON E PATCH Classificação de. Alcoolismo.  Três condições: a) alcoolismo social; b) alcoolismo neurótico; c) alcoolismo psicótico.
SOMMER – LARCHER Sinal de. Mancha enegrecida na  esclerótica que aparece após a morte devido ao dessecamento.
SOMMER E LARCHER sinal observado nos olhos do cadáver
SPALDING Sinal de. Cavalgamento dos ossos cranianos observado no exame radiológico nos casos de aborto retido.
SPANDER Sinal de. Achatamento da calvária do feto, que se observa no exame radiológico nos casos de aborto retido.
STENON – LOUIS Sinal de. Consiste na perda da turgescência dos globos oculares devido `a parada da circulação e desidratação cadavérica.
STENON – LOUIS Sinal de. Tela viscosa da córnea ou tela albuminosa da córnea (olho opaco) presente nas primeiras horas de morte ou nos períodos agônicos.
STOCKES Prova de. Utiliza solução de cloreto de zinco a 25%. Se positivo para monóxido de carbono no sangue, surge uma coloração vermelho-cereja claro. Casos negativos apresentam uma cor achocolatada.
STOCKES E WILD Sistema palmar de. Baseia-se no registro dos delineamentos dos sulco palmares.
STOCKIS Método de. Consiste em fotografar pelo lado dérmico a polpa digital macerada depois de desprendê-la da epiderme.
STOCKIS Método de. Introdução de uma solução de gelatina glicerinada a fim de distender a polpa e dar-lher consistência.
STOCKIS Técnica de. Consiste em realizar a tenotomia dos flexores palmares e a desarticulação dos dedos para a tomada das impressões digitais nos casos de corpos com rigidez cadavérica.
STRASSMANN Sinal de. Consiste no afundamento, de forma arredondada, com despreendimento de fragmento ósseo produzido por agente contundente sobre o crânio. Alguns autores a denomina de "fratura perfurante" ou em "saca-bocados" e, que pode reproduzir com bastante fidedignidade as dimensões e forma do instrumento. Se deve a impacto exercido verticalmente. Exemplo: afundamento ósseo por ação de uma martelada no crânio.
STRASSMANN Definição de Medicina Legal.
STRASSMANN Sinal de. Fratura em “saco-bocados”. É o desprendimento de fragmento ósseo de forma arredondada nos casos de ação contundente, sobre o crânio, exercida verticalmente.
STRAUCH Relação de. Determinação do sexo através da altura do manúbrio/altura do corpo. Homem = 1/ 2,65; Mulher = 1/40.
STRAUSS Síndrome metafisária de. Imagem radiológica onde visualiza-se o desgarramento metafisário devido a um excessiva tração das articulações. (Síndrome do bebê espancado)
STRZYZOWSKI Cristais de. Visualização de cristais romboides na cor acaju após reação com composto de álcool, água destilada, ácido acético e iodo hídrico, comprovando ser sangue.
SUDAN (III) - corante lipofílico = ácido ósmico = lugol ----leite, colostro
SYDNEY SMITH Definção de Medicina Legal.
SYDNEY SMITH Fórmula de. Cálculo da estatura fetal através do comprimento da diáfise femural multiplicada por 6,71, ou da diáfise tibial multiplicada por 7,63.
SZUBINSKY Ponto de. Ponto da parede torácica situado ao nível do quarto espaço intercostal.
TAMASSIA Sistema flebográfico de. Registro fotográfico das veias do dorso da mão para futura comparação.
TANNER DE ABREU Calendário de. Estabelece o tempo de morte analisando-se a localização e extensão da mancha verda abdominal.
TANNER DE ABREU Definição de Medicina Legal.
TANNER DE ABREU Processo de. Embalsamento. Injeta-se nas artérias uma mistura de água, glicerina e formol após remoção de todo sangue cadavérico.
TARDEU E CASPER Sinal de. Desaparecimento das pregas radiais do ânus consequente ao coito anal.
TARDIEU petéquias de hemorragias puntiformes internas (externas ?)- ­ pressão - asfixia - eletricidade
TARDIEU Gangrena úmida de. Parede gástrica edemaciada e necrosada que se observa nas ingestas de bases cáusticas.
TARDIEU – SILVERMAN Síndrome de. O mesmo que Sd. da Criança maltratada.
TARLOVSKI Sinal de. Inclinação das apófises espinhosas das vértebras em sentido contrário à direção do veiculo quando este passa sobe a escapula da vítima.
TARSITANO Sinal de. Aumento do quociente cloro globular/cloro plasmático no sangue nas asifixias.
TAYLOR Definição de Medicina Legal.
TAYLOR Manobra de. Verifica compatibilidade da mão do cadáver, com uma arma semelhante à que produziu o disparo, e posição da lesão.
TEICHMAN cristais de - sangue
TEICHMANN Prova de. Prova de certeza. Cristais de hemina (romboides, em roseta ou alongadas com cor de chocolate) vistas após mistura com ácido acético glacial.
TELKKA Tabela de. Estimativa da estatura pelo comprimento dos ossos do esqueleto.
TERSON Sinal de. Ausência de hiperemia conjuntival após instilação de gota de dionina indica morte real.
THIERRY Prova de. Um vaso de água cheio até a borda e colocado no epigástrio não mostra movimentos. Indica parada respiratória.
THOINOT “Submersão em meio sólido”de. Sufocação por soterramento.
THOINOT Anel de contusão de. O mesmo que anel de Fish.
THOINOT Arma “corto-contusa”de. O mesmo que Golpe de Machado de Hoffmann.
THOINOT Classificação de. Asifixias. 1- por constrições cervicais; 2 – por oclusão dos orifícios respiratórios externos; 3 – Por obstáculos nos movimentos do tórax; 4 – Pela respiração num meio líquido; 5 – por oclusão das vias respiratórias devido a corpo estranho.
THOINOT Definição de espasmo cadavérico.
THOINOT Regra de. A rigidez cadavérica se desfaz na mesma ordem de sua instalação.
THOINOT Sinal da linha argentina de. Linha brilhante, delgada, apergaminhada, firmemente aderente ao plano subjacente que se observa no fundo do sulco no enforcamento com laços finos  e duros.
THOINOT Sinal de. Visto nos esmagamentos por veículos pesados. São marcas apergaminhadas das rodas do veículo em forma de faixas ou raios na pele.
THOINOT Sinal de. Zona violácea ao nível das bordas do sulco no enforcamento.
THOINOT Técnica de. Técnica de necropsia que se inicia no acrômio, desce pela linha axilar anterior até a fossa ilíaca ipsilateral onde se curva até atingir a fossa ilíaca contralateral e desde esta subindo até o acrômio homolateral pela linha axilar anterior.
THOINOT Tríade de. Define clinicamente o estado de morte aparente (imobilidade, ausência de respiração e circulação)
THOMPSON Sistema de. Sistema universal de nomenclatura dentária.
THOURET Sinal de. Aspecto de “queijo branco ordinário” e rançoso na adipocera.
TIRELLEY Orla equimótica de. O mesmo que Anel de Fish.
TODD Tabela de. Determina a idade fetal baseado na altura e largura dos ossos chatos do crânio.
TOURDES Período de incerteza de. Período entre 3 horas antes e depois da morte no qual é impossível diferenciar lesões intra vitae e post mortem.
TOURDES Definição de Medicina Legal.
TOURDES Técnica de. A acidificação que ocorre nos fluidos e tecidos após a morte observado no tecido muscular.
TRAILL Docimasia pulmonar estática de. Quando o pulmão começa a funcionar, ocorre um aumento do peso deste devido à pequena circulação gerada.
TREBUCHET Definição de Medicina Legal.
TRELLI Orla equimótica de. O mesmo que Anel de Fish.
TROLLE Fórmula de. Estima a idade do feto baseado no comprimento do pé.
TROTTER E GLESER Tabela de. Estima a estatura do indivíduo baseado no comprimento dos ossos longos.
UHLENHUTH Reação de. Também chamada de albumino-reação. Baseia-se na injeção de albumina no sangue de algum animal. Caso esta albumina seja de um animal de outra espécie, a solução ficará turva.
UMIKOFF Reação de. Pesquisa de leite pelo uso da amônia. O leite humano cora-se em rosa-violáceo e o bovino em pardo escuro.
URQUIJO Método pelmatoscópico de. Identificação de recém-nascidos semelhante ao método de Preller.
VAILLANT Sinal de. Ausência de movimentos da massa cardíaca observado na radioscopia.
VALCARCEL Técnica de. Cadáver mumificado. Ferve-se as mãos do cadáver com o fito de desprender a epiderme e analisar o desenho digital na derme.
VALENTIN Sinal de. Asfixia. Sufocação indireta. Aumento do volume e distensão acentuada dos pulmões.
VALENTIN Sinal de. Distensão dos pulmões nas asfixias.
VALUDE Sinal de. Abertura palpebral devido à paralisia muscular decorrente da morte real.
VAN DEEN Reação de. Diagnóstico genérico de sangue através de guaiaco a 10% e água oxigenada. Se positivo, obtém-se a cor azul.
VARGAS ALVARADO Sinal de. Congestão esofageana que se observa acima da constrição, no enforcamento.
VARGAS ALVARADO Sinal de. Hemorragia etmoidal que se observa no afogado que se revela por zonas azuladas no compartimento anterior da base do crânio.
VARIOT E CHAUMEL Tábuas de. Indica que o peso do homem regula mais ou menos as duas últimas cifras da altura, expressa em centímetros. O da mulher, menos 2,5.
VASILIU E MELLER docimasia - doquimografia - respiratória - com contraste - útil ainda que com putrefação
VASILIU E MELLER Docimásia doquimográfica de. A sombra cardíaca fica confundida com a pulmonar nos casos de ausência de respiração. Vistos nas chapas radiográficas de tórax.
VEIGA DE CARVALHO Docimasia de. Utilizando-se da coloração pela hematoxilina-eosina, permite efetuar diagnóstico diferencial entre pulmão que respirou, não respirou, putrefeito ou insuflado.
VEIGA DE CARVALHO Docimasia de. Se o pulmão respirou, observar-se-á halos refringentes destacados sobre o fundo negro (correspondentes aos alvéolos cheios de ar). Sem respiração a imagem fica totalmente escura.
VEIGA DE CARVALHO Docimásia supra-renal histológica de. Utiliza a técnica de Kolmer e Romeis.
VEIGA DE CARVALHO  Epimicroscopia supra-renal de. Utiliza-se da coloração dos grãos de adrenalina por bicromato de potássio.
VEIGA DE CARVALHO Sinal de. Consiste na persistência da opacidade radiográfica da arteriografia segmentar por mais de vinte minutos.
VERDERAU Prova de. Afluxo leucocitário demonstra vitalidade no momento da lesão. Consiste em maior proporção de glóbulos brancos em relação aos vermelhos na região lesada comparativamente ao sangue.
VERNEAU Índice de platolenia de. Classifica a ulna em platolenia (achatada), eurolenia, hipereurolenia (arredondada).
VEYNE Sinal de. Baseia-se na vacuidade arterial depois da morte. A ausência de hemorragia ao se proceder à secção de uma ou mais artérias confirmará a morte real.
VIBERT Zona apergaminhada de. O mesmo que Anel de Fish.
VIBERT Calendário de. Estabelece, com base nos fenômenos cadavéricos, o tempo decorrido de morte.
VIBERT Quadro de. Tempo da morte. 1 – Corpo quente, flácido, sem livores (6-8hs pós morte); 2 – corpo morno, rígido, livores que desaparecem por dígito-pressão (6-12hs); 3 – corpo frio, rígido, livores acentuados, imutáveis, sem putrefação (24-48hs); 4 – Sem rigidez, mancha verde abdominal (mais de 36hs).
VICENTIIS Esquema de. Permite identificar o veículo atropelador com base no tipo de traumatismo.
VIERORDT Regra de. Cálculo de tempo de sobrevida nos indivíduos com algum obstáculo que interfere parcialmente na função respiratório. O indivíduo não morre de imediato devido ao ar residual presente nos pulmões.
VILANOVA Classificação de. Queimaduras. Pequenas – epidérmicas até 20%, dérmicas até 15% e hipodérmicas até 10%; médias; grandes – dermo-epidérmicas com mais de 35% da superfície corporal atingida.
VINOKUROVA Sinal de. Consiste nas lacerações arqueadas e paralelas no fígado, produzidas pela passagem de um veículo sobre a parede anterior do abdome.
VIRCHOW Hematoidina de. Nos processos equimóticos, a hemoglobina se transforma em hemossiderina e, depois, quando este perde seu conteúdo de ferro, em hematoidina, que se verifica entre o sétimo e décimo segundo dia da lesão, conferindo à pele coloração esverdeada.
VIRCHOW Método de. Técnica de necropsia caracterizada pelo reconhecimento global das vísceras in situ e sua análise em separado após extração do cadáver.
VIRCHOW Plano de. O mesmo que plano de Frankfurt.
VOLUTER Teste de. Consiste em uma radiografia lateral do crânio seguido da medição da sela turca, permitindo uma relação com a idade do indivíduo.
VON DUNGERN E HIRSZFELD Lei de. Nenhum aglutinógeno pode aparecer na criança se não estiver presente no pai ou na mãe.
VON EICKESTEDT Classificação racial de. Divide a espécie humana em três grandes grupos: europóides, mongoloides e negridos.
VON FERNWALD Sinal de. Sinal presumível de gravidez. Amolecimento irregular e discreto alargamento do fundo do útero perto do local de implantação.
VREDEN WENDT E GELÉ docimasia ótica auricular - ar no ouvido médio - difícil e reservada a casos de só cabeça
VUCETICH Sistema Datiloscópico de. Baseia-se em identificar o indíviduo através dos desenhos formado pelas cristas papilares das polpas digitais.
VULPIAN E ICARD Prova de. Consiste na estimulação de um músculo por duas agulhas conectadas a um aparelho de indução galvânica. É um sinal de aparição tardia, que se faz presente cerca de 5-6 horas após a morte e, até 27 horas nos casos de morte por infecções agudas.
WACH HOLZ Sinal de. Hemorragias bilaterais que se observam na musculatura torácica presente nos afogados devido aos esforços dos afogados e às tentativas de reanimação.
WALLESTEIN E KOBER Reação de. Identificação de rastros de pólvora por meio da presença de nitritos ou nitratos. Vistos por meio da coloração azul escura causada pelo reativo de Guthman.
WEBER Prova de. Se ao colocar um diapasão sobre a linha sagital do crânio, um indivíduo estando com ambos os ouvidos destampados, ouvir melhor em um dos lados, indica problema auditivo deste lado.
WEDELSTAEDT Dentômetro de. Compasso utilizado para medir a espessura dos dentes.
WEINDEREICH Índice alveolar de. Relação centesimal entre a largura máxima do arco alveolar e o comprimento total deste arco.
WEINDEREICH Índice alveolar anterior de. Relação centesimal entre a distância que vai do ponto infradentário até a reta que une os dois post-lácteos.
WELCKER Ângulo esfenoidal de. Ângulo cujo vértice se encontra na parte média do canal ótica, uma linha se estende até o nasion e a outra no basion.
WELSH Infiltrações petequiais de. O mesmo que Manchas de Tardieu.
WERKGAERTNER Sinal de. Lesão que, nos tiros encostados, reproduz sobre a pele a extremidade aquecida da arma de fogo. Em resultado do calor desenvolvido pelo disparo, a boca do cano, a massa de mira e a ponta da haste efetora (fuste) deixam, por vezes, o seu contorno impresso junto ao orifício de entrada do projetil, numa lesão erosivo-escoriativa que logo em seguida se apergaminha.
WESTENHOFFER – ROCHA – VALVERDE Cristais de. Cristais que se formam no sangue do cadáver e que resultam da decomposição globular. São tingido pelo ferro cianeto de potássio adquirindo uma cor azulado. Surgem no 3o dia post mortem e desaparecem em torno do 35o dia.
WIDE – GEMZELL Prova de. Prova de inibição da hemo-aglutinação.
WIDLER Sinal de. Afogamento. Coloca-se o conteúdo espumoso, às vezes encontrado no estômago e alças intestinais dos afogados em um tubo de ensaio. Observa-se três camadas: superior (espumosa), média (aquosa) e inferior (sólida).
WIDMARK Fórmula de. Determinação da quantidade de álcool ingerido. Visto como quantidade de álcool por 1000mL de sangue.
WIEGMANN reação de - iodo metalóide + iodeto de potássio + água = mucosidade vaginal - glicogênio - castanho-mogno
WILDER E WENTWORTH Método de. Palmetoscopia. Identificação pela análise das linhas da palma da mão.
WILKINSON Classificação de. Classifica o alcoolismo em: a) consumo de mais de 80 gramas de álcool, em média, por dia; b) Consuma de mais de 160 gramas por dia (alto risco).
WILSON JOHNSTON Sinal de. Desgarramento mucoso retal, de forma triangular, na linha média, próximo à rafe, consequente ao coito anal.
WINSLOW Sinal de. Consiste em colocar diante das narinas da boca, filamentos de algodão, que não se movimentarão em caso de morte real.
WINSLOW Sinal de. Embaciamento do espelho ao colocá-lo diante das narinas. Ajuda comprovar a morte real.
WINSLOW Sinal de. Sinal da chama de vela. Coloca-se uma vela diante das narinas para verificar se o indivíduo respira ou não.
WINSLOW Tela de. Turvação ou opacificação da córnea devido à desidratação cadavérica.
WISCHNEWSKI Úlceras de. Pequenas hemorragias e ulceraçòes que se observa na mucosa do estômago em indivíduos submetidos a baixas temperaturas (hipotermia)
WISCHNEWSKI Úlceras de. Pequenas hemorragias e ulcerações que se observa na mucosa do estômago em indivíduos submetidos a baixas temperaturas.
WREDEN – WENT – GELÉ Prova de. Docimasia auricular. Consiste na punção da membrana do tímpano com a cabeça do feto imersa na água. Tendo o feto respirado, se desprenderão bolhas gasosas.
WREDM – WENDT Prova de. Arranca-se a pia-máter e levanta-se a lamela óssea que constitui o tegmento timpani. Fica descoberto a cavidade do ouvido médio. Recolhe-se uma gota do conteúdo contido neste lugar e examina-o ao microscópico. É possível obter indícios do lugar e o modo da morte.
WYDLER Sinal de. O mesmo que Sinal de Widler.
XAVIER DA SILVA Técnica de. Ferve-se a mão e o terço inferior do cadáver enrijecido a fim de facilitar a tomada das impressões digitais.
XAVIER DE BARROS Definição de Medicina Legal.
YAN – KIE Sinal de. Dessecação da cavidade bucal e outras mucosas vistas na desidratação cadavérica.
ZALESK Docimásia Hematopulmonar de. Consiste em verificar o conteúdo hemático dos pulmões como indicativo de vida extra-uterina.
ZIELDER Área perigosa de. Área em que as lesões pérfuro-incisas sobre esta área podem lesar o miocárdio ou as artérias cornárias.
ZIEMKE-OTTO Sinal de. Solução de continuidade da túnica interna das jugulares, no enforcamento e, muito raramente, no estrangulamento.
ZIINO Definição de Medicina Legal.
ZITKOV Sinal de. Consiste na hemorragia do tecido conectivo papilar da língua verificado pela microscopia, indicativo de mordedura ante-mortem.



Webmaster
Malthus

Este site está sendo monitorado, como parte dos Trabalhos do Professor
Malthus Fonseca Galvão
Todas as ações implementadas neste site ficam gravadas em um banco de dados
com finalidade de pesquisas e melhorias do sistema.

©Os direitos autorais deste Sítio são protegidos pela Lei 9610 de 19/02/1998. Todos os programas de computador, métodos e bancos de dados utilizados neste Sítio foram desenvolvidos pelo Prof. Malthus Galvão. O conteúdo é propriedade dos respectivos autores. Toda violação destes direitos de propriedade estará sujeita às penalidades prescritas em lei.
Este sítio está em constante remodelação e pode conter erros!!!