Matrícula ou Email: Senha: Esqueci a senha 




Índice
Lesões corporais
Físicos
Eletricidade
Temperatura
Pressão
Radioatividade
Luz
Som  

 
 
   
  • Meio mais importante no mecanismo de produção das lesões
  • Dentro deste grupo, encontra-se o principal estatisticamente: o mecânico

Eletricidade
  • A eletricidade produz lesões corporais de
    • Forma direta
      • Pela eletricidade em si, alterando, por exemplo, o funcionamento cardíaco
    • Forma indireta
      • Pelo efeito joule, com a produção de calor, queimaduras elétricas.
  • O aspecto geral das lesões produzidas pela eletricidade é de crosta ou escara seca e dura.
  • A fonte de eletricidade pode ser natural (raio) ou artificial.
    • Eletricidade Natural - Raios
      • Marca de Lichtenberg
      • Fulminação
        • Morte instantânea por raios.
      • Fulguração
        • Perturbação causada no organismo vivo por raios, sem ocorrência de êxito letal (morte).
    • Eletricidade Artificial - Doméstica ou Industrial
      • Marca de Jellineck
      • Eletroplessão é o dano corporal com ou sem êxito letal, provocado pela ação de corrente elétrica artificial nos seres vivos.
  • Óbito por eletricidade
    • causa cardíaca,
    • pulmonar ou
    • cerebral,
    • entretanto, o choque elétrico pode levar a quedas que podem ser a verdadeira causa da morte.


Eletricidade == Micro Jenileck ==

Micro Jenileck

 
Em alguns casos as marcas elétricas são muito pequenas. Nestes casos, a ampliação de uma boa fotografia pode evidenciar uma marca patognomômica, como neste caso.
Eletricidade == Eletricidade Natural ==

Eletricidade Natural
Eletricidade Natural = Raio Atmosférico

Figuras arboriformes de Lichenberg
Eletricidade == Eletricidade Artificial ==

Eletricidade Artificial

 
Eletricidade Artificial = eletricidade produzida pelo homem

Alta tensão

Média Tensão

Baixa Tensão


"A Linha de Transmissão começa no pára-raios da Subestação da Usina e termina no pára-raios da Subestação de Distribuição. Cada linha é composta de 3 fases identificadas pelas letras A, B e V que significam Azul, Branca e Vermelha, que são as 3 fases da corrente trifásica.
A tensão de transmissão é elevada para diminuir as perdas pelo efeito Joule (o cabo esquenta pela passagem da eletricidade).

Quanto mais alta a tensão, menor serão as perdas. A linha entre Itaipú e Tijuco Preto tem um comprimento de 700 kilometros e a tensão é de 750.000 Volts. Nas proximidades de centros urbanos não é seguro se operar com tensõs tão elevadas. Então as linhas operam com tensão de 230.000 Volts. Dentro da cidade a tensão é menor ainda. Pode ser em 138.000 Volts ou 69.000 Volts" A Linha de Transmissão começa no pára-raios da Subestação da Usina e termina no pára-raios da Subestação de Distribuição. Cada linha é composta de 3 fases identificadas pelas letras A, B e V que significam Azul, Branca e Vermelha, que são as 3 fases da corrente trifásica.
A tensão de transmissão é elevada para diminuir as perdas pelo efeito Joule (o cabo esquenta pela passagem da eletricidade).

Quanto mais alta a tensão, menor serão as perdas. A linha entre Itaipú e Tijuco Preto tem um comprimento de 700 kilometros e a tensão é de 750.000 Volts. Nas proximidades de centros urbanos não é seguro se operar com tensõs tão elevadas. Então as linhas operam com tensão de 230.000 Volts. Dentro da cidade a tensão é menor ainda. Pode ser em 138.000 Volts ou 69.000 VoltsA Linha de Transmissão começa no pára-raios da Subestação da Usina e termina no pára-raios da Subestação de Distribuição. Cada linha é composta de 3 fases identificadas pelas letras A, B e V que significam Azul, Branca e Vermelha, que são as 3 fases da corrente trifásica.
A tensão de transmissão é elevada para diminuir as perdas pelo efeito Joule (o cabo esquenta pela passagem da eletricidade).

Quanto mais alta a tensão, menor serão as perdas. A linha entre Itaipú e Tijuco Preto tem um comprimento de 700 kilometros e a tensão é de 750.000 Volts. Nas proximidades de centros urbanos não é seguro se operar com tensõs tão elevadas. Então as linhas operam com tensão de 230.000 Volts. Dentro da cidade a tensão é menor ainda. Pode ser em 138.000 Volts ou 69.000 Volts" http://www.ebanataw.com.br/roberto/energia/ener18.htm

Eletricidade == Eletricidade Artificial ==

Limite de desprendimento

 
Conforme a norma IEC 60.479, existe uma relação entre a frequência e a corrente sob a qual um indivíduo é incapaz de atuar por si só para separar-se do ponto de aplicação da corrente.

Probabilidade de uma pessoa se desprender após contato com objeto energizado:
Curva 3: 0,5% das pessoas;
Curva 2: 50% das pessoas e
Curva 1: 99,5% das pessoas.
Eletricidade == Eletricidade Artificial ==

Efeitos fisiológicos da eletricidade artificial

 
Zonas Limites Efeitos Fisiológicos
AC-1 Até 0,5 mA - curva a Percepção possível, mas geralmente não causa reação.
AC-2 0,5mA até curva b Provável percepção e contrações musculares involuntárias, porem sem causar efeitos fisiológicos.
AC-3 A partir da curva b para cima Fortes contrações musculares involuntárias, dificuldade respiratória e disfunções cardíacas reversíveis. Podem ocorrem imobilizaçòes e os efeitos aumentam com o crescimento da corrente elétrica. Normalmente os efeitos prejudiciais podem ser revertidos.
AC4 Acima da curva c1 Efeitos patológicos graves podem ocorrer, inclusive paradas cardíacas, paradas respiratórias e queimaduras ou outros danos celulares. A probabilidade de fibrilação ventricular aumenta com a intensidade da corrente e do tempo.
  c1 - c2 AC-4.1 Probabilidade de fibrilação ventricular aumentada até aproximadamente 5%.
  c2-c3 AC-4.2 Probabilidade de fibrilação ventricular de aproximadamente 50%.
  Além da curva c3 AC-4.3 Probabilidade de fibrilação acima de 50%.

Eletricidade == Eletricidade Artificial ==

Alta tensão

 
As lesões em casos de alta voltagem são, em geral, patognomônicas.

Eletricidade == Metalização ==

Metalização

 
Metalização é a deposição cutânea de metal em decorrência de corrrentes elétricas.
Pode ocorrer nos casos de eletricidade natural e artificial.

Temperatura
  • Termonoses
    • Termonoses são os danos orgânicos e a morte provocada pelo calor por meio de insolação ou pela intermação.
  • Insolação
    • É a ação da temperatura, dos raios solares, da excessiva umidade relativa e viciação do ar, tendo escassa importância médico-legal, por ser de origem freqüentemente acidental.
  • Intermação
    • São os danos orgânicos ou a morte ocorridas em espaços confinados ou abertos, sem o suficiente arejamento, quando há elevação excessiva do calor radiante. As causas jurídicas da intermação são acidentes de trabalho e crimes.


Temperatura == Geladura ==

Geladura
  • São lesões resultantes do frio sobre o revestimento cutâneo, semelhantes às lesões causadas pelo calor.
  • As ações do frio são de pouca importância médico-legal no Brasil, pais tropical.
  • A ação geral do frio pode levar a:
    • alterações do sistema nervoso
    • sonolência
    • convulsões
    • delírios
    • perturbações dos movimentos
    • anestesias
    • congestão ou isquemia das vísceras
    • pode causar a morte, se muito intenso

 

  • Classificação das Geladuras (ação local)
    • 1º grau
      • Palidez ou rubefação local e aspecto anserino da pele
    • 2º grau
      • Eritema e formação de flictenas de conteúdo claro e hemorágico
    • 3º grau
      • Necrose dos tecidos moles com formação de crostas enegrecidas, aderidas e espessas
    • 4º grau
      • Gangrena e desarticulação

Temperatura == Queimadura ==

Queimadura
  • Queimaduras são lesões resultantes do calor sobre o revestimento cutâneo, podendo ser simples ou complexas.
  • Queimadura simples
    • É a lesão produzida apenas pela ação do calor.
  • Queimadura complexa
    • É a lesão produzida pela ação do atrito em relação ao calor e outros fatores próprios do agente agressivo (eletricidade, fricção, raios X, raios gama, líquidos).

 

  • As queimaduras podem ser classificadas em:
    • 1º grau
      • Eritema simples - Somente a epiderme é atingida 
    • 2º grau
      • Vesicação - Surgimento de flictenas contendo líquido citrino, rico em albuminas e cloretos. 
    • 3º grau
      • Escarificação - Representada por coagulação necrótica da derme e da tela subcutânea. 
    • 4º grau
      • Carbonização - Comprometem, parcial ou totalmente, as partes profundas dos vários segmentos do corpo, atingindo os próprios ossos e ocasionando muitas vezes o êxito letal.

 

  • Prognóstico
    • Depende de diversos fatores; os mais importantes são a idade e a superfície corporal queimada.
    • Calcula-se, de forma aproximada, a superfície corporal queimada pela regra dos “9”.
    • Com a superfície corporal calculada utiliza-se o gráfico para a estimativa da taxa de sobrevida.
    • Como exemplo, se um indivíduo de 25 anos (curva n. 3) tiver 40% da superfície corporal queimada, a probabilidade de sobrevivência é de 50%, entretanto se a idade for de 55 anos (curva 5), a probabilidade de sobrevivência é de cerca de apenas 10%.


Temperatura == Queimadura ==

Ação de labaredas

 
A ação de labaredas pode ser confirmada pela crestação de pelos.
Temperatura == Queimadura ==

Queimadura de 1º grau

 
Queimaduras de primeiro grau produzem apenas rubefação (vermelhidão) cutânea passageira.
Temperatura == Queimadura ==

Queimadura de 2º grau

 
Nas queimaduras de 2º grau ocorre a formação de flictenas (bolhas) e destacamento epidérmico. Neste caso, não haverá formação de cicatriz.
Temperatura == Queimadura ==

Queimadura de 3º grau

 
Queimaduras de terceiro grau destroem toda a pele, incluindo a camada germinativa. Desta forma, a pele não se recompõem normalmente e é substituída por tecido fibroso: cicatriz.
Temperatura == Queimadura ==

Queimadura de 4º grau

 
Na queimadura de quarto grau, tecidos profundos são destruídos e observa-se carbonização.
Temperatura == Queimadura ==

Queimaduras em crianças

 
Atualmente os acidentes domésticos com crianças representam um grande problema social.

As crianças se queimam na cozinha ao mexer nos cabos das panelas em cocção e, podemos reduzir estes acidentes evitando crianças na cozinha e também posicionando os cabos das panelas fora do alcance.

Clique aqui para ver uma campanha educativa
Temperatura == Queimadura ==

Cicatrizes de queimadura

 
Caso de pessoa que sofreu queimaduras de terceiro grau há tempos.
Observe as cicatrizes nas regiões queimadas, com interferência das vestes.
Observe também as regiões doadoras de enxerto, com hipocromia.

Pressão

 
As lesões ocasionadas pela pressão são raras e geralmente estão relacionadas com atividades de mergulho, alpinismo e aviação.

Um disparo de arma de fogo em focal fechado e pequeno pode produzir lesões como rotura timpânica.

Um avião comercial que vôe a 37.000 pés, mantém a pressão interna equivalente à pressão de 8.000 pés. Caso ocorra uma descompressão, quanto mais súbita ocorra, maiores serão os problemas. Isto, sem falar na questão da baixa de oxigênio.

No caso dos mergulhadores, a fisiopatologia decorre da descompressão súbita e formação de gases no sistema circulatório. A cada 10m de profundidade na água, a pressão aumenta 1 atmosfera, ou seja, a 30 metros o mergulhador está sujeito a uma pressão total de 4 atmosferas.

Quando o mergulhador submerge a pressão aumenta e a tuba auditiva pode não estar pérvea, impossibilitando a equalizando da pressão entre o ouvido médio e o externo. Esta diferença de pressão pode levar a ruptura timpânica, produzindo dor e comprometimento da audição.

Caso o mergulhador esteja com a cabeça desprotegida na água fria, a entrada abrupta de água no ouvido médio causa vertigem (vertigem alternobárica), desorientação e náusea. O mergulhador pode vomitar e afogar-se. O uso de tampões de ouvido é desaconselhado, pois cria um espaço fechado entre o tampão e a membrana timpânica onde a pressão não pode ser igualada.

Um mergulhador a 10 metros de profundidade, inspira uma o dobro de ar (em massa) que inspiraria na superfície. Caso emirja sem expirar, o volume contido nos pulmões dobra e pode causar rupturas pulmonares fatais.

A embolia gasosa é o obstrução de vasos sangüíneos por bolhas de ar na corrente sangüínea, geralmente decorrentes da expansão do ar retido nos pulmões enquanto a pressão diminui durante a emersão em um mergulho. Ocorre também a formação de bolhas a partir dos gases dissolvidos no sangue e nos tecidos, que formam bolhas que obstruem o fluxo sangüíneo e causam dor e outros sintomas.

Por isso, existe a necessidade de usar tabelas de tempos de descompressão em função da profundidade e do tempo de mergulho e da mistura utilizada.

A escola "Net-diver school" oferece pela internet um curso grátis para quem deseja obter uma licença para mergulho em águas abertas. No site você encontra diversas informações úteis de como utilizar a tabela de mergulho reproduzida neste tópico. Clique aqui para acessar o site da "Net-diver school"
Radioatividade
  • As lesões decorrentes da radioatividade são mais comumente produzidas por aparelhos de raios X ou por substâncias radioativas de uso medicinal ou industrial.
  • Existe uma grande preocupação das autoridades com os atentados radioativos, utilizando, por exemplo, as chamadas “bombas sujas”, nas quais o componente radioativo não é utilizado para a explosão, mas é simplesmente espalhado por uma explosão convencional.
  • As lesões locais são conhecidas como radiodermites e podem ser:
    • Agudas
      • PRIMEIRO GRAU - Formas depilatória ou eritematosa
      • SEGUNDO GRAU - Geralmente representada por ulceração dolorosa, recoberta por crosta sero-purulenta
      • TERCEIRO GRAU - Apresentam zonas de necrose
    • Crônicas
      • Podem apresentar as formas úlcero-atrófica, telangiectásica ou neoplásica.

Luz

 
  • A intensidade luminosa excessiva pode causar danos ao aparelho visual, de forma crônica ou aguda.
  • O esforço crônico em situações de luminosidade inferior à adequada também pode resultar em lesões.
  • Radiação luminosa em espectros diversos do habitual, como ultra-violeta, podem causar lesões (no caso, opacificação do cristalino).

Som

 

Exposição crônica pode levar à debilidade ou perda auditiva irreparável.

Exposição aguda de grande intensidade também pode produzir lesões.

A intensidade sonora é medida em decibéis. Observe a tabela abaixo:

Qualidade do Som Decibéis Tipo de Ruído
muito baixo 0-20 farfalhar das folhas
baixo 20-40 conversação silenciosa
moderado 40-60 conversação normal
alto 60-80 ruído médio de fábrica ou trânsito
muito alto 80-100 apito de guarda e ruído de caminhão
ensurdecedor 100-120 ruído de discoteca e de avião decolando
  140 disparo de arma de fogo

As perdas auditivas ocorrem de forma diferente para cada tipo de freqüência.



Webmaster
Malthus

Este site está sendo monitorado, como parte dos Trabalhos do Professor
Malthus Fonseca Galvão
Todas as ações implementadas neste site ficam gravadas em um banco de dados
com finalidade de pesquisas e melhorias do sistema.

©Os direitos autorais deste Sítio são protegidos pela Lei 9610 de 19/02/1998. Todos os programas de computador, métodos e bancos de dados utilizados neste Sítio foram desenvolvidos pelo Prof. Malthus Galvão. O conteúdo é propriedade dos respectivos autores. Toda violação destes direitos de propriedade estará sujeita às penalidades prescritas em lei.
Este sítio está em constante remodelação e pode conter erros!!!