Matrícula ou Email: Senha: Esqueci a senha 




Índice
Lesões corporais
Físicos
Físicos - Mecânicos
Químicos
Físico-Químicos
Biodinâmico
Lesões especiais
Hemorragia  

   
  • Lesão corporal é definida como toda ofensa
    • morfológica ou
    • fisiológica ou
    • psicológica

Físicos
  • Meio mais importante no mecanismo de produção das lesões
  • Dentro deste grupo, encontra-se o principal estatisticamente: o mecânico


Físicos == Eletricidade ==

Eletricidade
  • A eletricidade produz lesões corporais de
    • Forma direta
      • Pela eletricidade em si, alterando, por exemplo, o funcionamento cardíaco
    • Forma indireta
      • Pelo efeito joule, com a produção de calor, queimaduras elétricas.
  • O aspecto geral das lesões produzidas pela eletricidade é de crosta ou escara seca e dura.
  • A fonte de eletricidade pode ser natural (raio) ou artificial.
    • Eletricidade Natural - Raios
      • Marca de Lichtenberg
      • Fulminação
        • Morte instantânea por raios.
      • Fulguração
        • Perturbação causada no organismo vivo por raios, sem ocorrência de êxito letal (morte).
    • Eletricidade Artificial - Doméstica ou Industrial
      • Marca de Jellineck
      • Eletroplessão é o dano corporal com ou sem êxito letal, provocado pela ação de corrente elétrica artificial nos seres vivos.
  • Óbito por eletricidade
    • causa cardíaca,
    • pulmonar ou
    • cerebral,
    • entretanto, o choque elétrico pode levar a quedas que podem ser a verdadeira causa da morte.


Físicos == Eletricidade ==

Micro Jenileck

 
Em alguns casos as marcas elétricas são muito pequenas. Nestes casos, a ampliação de uma boa fotografia pode evidenciar uma marca patognomômica, como neste caso.
Físicos == Eletricidade ==

Eletricidade Natural
Eletricidade Natural = Raio Atmosférico

Figuras arboriformes de Lichenberg
Físicos == Eletricidade ==

Eletricidade Artificial

 
Eletricidade Artificial = eletricidade produzida pelo homem

Alta tensão

Média Tensão

Baixa Tensão


"A Linha de Transmissão começa no pára-raios da Subestação da Usina e termina no pára-raios da Subestação de Distribuição. Cada linha é composta de 3 fases identificadas pelas letras A, B e V que significam Azul, Branca e Vermelha, que são as 3 fases da corrente trifásica.
A tensão de transmissão é elevada para diminuir as perdas pelo efeito Joule (o cabo esquenta pela passagem da eletricidade).

Quanto mais alta a tensão, menor serão as perdas. A linha entre Itaipú e Tijuco Preto tem um comprimento de 700 kilometros e a tensão é de 750.000 Volts. Nas proximidades de centros urbanos não é seguro se operar com tensõs tão elevadas. Então as linhas operam com tensão de 230.000 Volts. Dentro da cidade a tensão é menor ainda. Pode ser em 138.000 Volts ou 69.000 Volts" A Linha de Transmissão começa no pára-raios da Subestação da Usina e termina no pára-raios da Subestação de Distribuição. Cada linha é composta de 3 fases identificadas pelas letras A, B e V que significam Azul, Branca e Vermelha, que são as 3 fases da corrente trifásica.
A tensão de transmissão é elevada para diminuir as perdas pelo efeito Joule (o cabo esquenta pela passagem da eletricidade).

Quanto mais alta a tensão, menor serão as perdas. A linha entre Itaipú e Tijuco Preto tem um comprimento de 700 kilometros e a tensão é de 750.000 Volts. Nas proximidades de centros urbanos não é seguro se operar com tensõs tão elevadas. Então as linhas operam com tensão de 230.000 Volts. Dentro da cidade a tensão é menor ainda. Pode ser em 138.000 Volts ou 69.000 VoltsA Linha de Transmissão começa no pára-raios da Subestação da Usina e termina no pára-raios da Subestação de Distribuição. Cada linha é composta de 3 fases identificadas pelas letras A, B e V que significam Azul, Branca e Vermelha, que são as 3 fases da corrente trifásica.
A tensão de transmissão é elevada para diminuir as perdas pelo efeito Joule (o cabo esquenta pela passagem da eletricidade).

Quanto mais alta a tensão, menor serão as perdas. A linha entre Itaipú e Tijuco Preto tem um comprimento de 700 kilometros e a tensão é de 750.000 Volts. Nas proximidades de centros urbanos não é seguro se operar com tensõs tão elevadas. Então as linhas operam com tensão de 230.000 Volts. Dentro da cidade a tensão é menor ainda. Pode ser em 138.000 Volts ou 69.000 Volts" http://www.ebanataw.com.br/roberto/energia/ener18.htm

Físicos == Eletricidade == Eletricidade Artificial ==

Limite de desprendimento

 
Conforme a norma IEC 60.479, existe uma relação entre a frequência e a corrente sob a qual um indivíduo é incapaz de atuar por si só para separar-se do ponto de aplicação da corrente.

Probabilidade de uma pessoa se desprender após contato com objeto energizado:
Curva 3: 0,5% das pessoas;
Curva 2: 50% das pessoas e
Curva 1: 99,5% das pessoas.
Físicos == Eletricidade == Eletricidade Artificial ==

Efeitos fisiológicos da eletricidade artificial

 
Zonas Limites Efeitos Fisiológicos
AC-1 Até 0,5 mA - curva a Percepção possível, mas geralmente não causa reação.
AC-2 0,5mA até curva b Provável percepção e contrações musculares involuntárias, porem sem causar efeitos fisiológicos.
AC-3 A partir da curva b para cima Fortes contrações musculares involuntárias, dificuldade respiratória e disfunções cardíacas reversíveis. Podem ocorrem imobilizaçòes e os efeitos aumentam com o crescimento da corrente elétrica. Normalmente os efeitos prejudiciais podem ser revertidos.
AC4 Acima da curva c1 Efeitos patológicos graves podem ocorrer, inclusive paradas cardíacas, paradas respiratórias e queimaduras ou outros danos celulares. A probabilidade de fibrilação ventricular aumenta com a intensidade da corrente e do tempo.
  c1 - c2 AC-4.1 Probabilidade de fibrilação ventricular aumentada até aproximadamente 5%.
  c2-c3 AC-4.2 Probabilidade de fibrilação ventricular de aproximadamente 50%.
  Além da curva c3 AC-4.3 Probabilidade de fibrilação acima de 50%.

Físicos == Eletricidade == Eletricidade Artificial ==

Alta tensão

 
As lesões em casos de alta voltagem são, em geral, patognomônicas.

Físicos == Eletricidade ==

Metalização

 
Metalização é a deposição cutânea de metal em decorrência de corrrentes elétricas.
Pode ocorrer nos casos de eletricidade natural e artificial.

Físicos == Temperatura ==

Temperatura
  • Termonoses
    • Termonoses são os danos orgânicos e a morte provocada pelo calor por meio de insolação ou pela intermação.
  • Insolação
    • É a ação da temperatura, dos raios solares, da excessiva umidade relativa e viciação do ar, tendo escassa importância médico-legal, por ser de origem freqüentemente acidental.
  • Intermação
    • São os danos orgânicos ou a morte ocorridas em espaços confinados ou abertos, sem o suficiente arejamento, quando há elevação excessiva do calor radiante. As causas jurídicas da intermação são acidentes de trabalho e crimes.


Físicos == Temperatura ==

Geladura
  • São lesões resultantes do frio sobre o revestimento cutâneo, semelhantes às lesões causadas pelo calor.
  • As ações do frio são de pouca importância médico-legal no Brasil, pais tropical.
  • A ação geral do frio pode levar a:
    • alterações do sistema nervoso
    • sonolência
    • convulsões
    • delírios
    • perturbações dos movimentos
    • anestesias
    • congestão ou isquemia das vísceras
    • pode causar a morte, se muito intenso

 

  • Classificação das Geladuras (ação local)
    • 1º grau
      • Palidez ou rubefação local e aspecto anserino da pele
    • 2º grau
      • Eritema e formação de flictenas de conteúdo claro e hemorágico
    • 3º grau
      • Necrose dos tecidos moles com formação de crostas enegrecidas, aderidas e espessas
    • 4º grau
      • Gangrena e desarticulação

Físicos == Temperatura ==

Queimadura
  • Queimaduras são lesões resultantes do calor sobre o revestimento cutâneo, podendo ser simples ou complexas.
  • Queimadura simples
    • É a lesão produzida apenas pela ação do calor.
  • Queimadura complexa
    • É a lesão produzida pela ação do atrito em relação ao calor e outros fatores próprios do agente agressivo (eletricidade, fricção, raios X, raios gama, líquidos).

 

  • As queimaduras podem ser classificadas em:
    • 1º grau
      • Eritema simples - Somente a epiderme é atingida 
    • 2º grau
      • Vesicação - Surgimento de flictenas contendo líquido citrino, rico em albuminas e cloretos. 
    • 3º grau
      • Escarificação - Representada por coagulação necrótica da derme e da tela subcutânea. 
    • 4º grau
      • Carbonização - Comprometem, parcial ou totalmente, as partes profundas dos vários segmentos do corpo, atingindo os próprios ossos e ocasionando muitas vezes o êxito letal.

 

  • Prognóstico
    • Depende de diversos fatores; os mais importantes são a idade e a superfície corporal queimada.
    • Calcula-se, de forma aproximada, a superfície corporal queimada pela regra dos “9”.
    • Com a superfície corporal calculada utiliza-se o gráfico para a estimativa da taxa de sobrevida.
    • Como exemplo, se um indivíduo de 25 anos (curva n. 3) tiver 40% da superfície corporal queimada, a probabilidade de sobrevivência é de 50%, entretanto se a idade for de 55 anos (curva 5), a probabilidade de sobrevivência é de cerca de apenas 10%.


Físicos == Temperatura == Queimadura ==

Ação de labaredas

 
A ação de labaredas pode ser confirmada pela crestação de pelos.
Físicos == Temperatura == Queimadura ==

Queimadura de 1º grau

 
Queimaduras de primeiro grau produzem apenas rubefação (vermelhidão) cutânea passageira.
Físicos == Temperatura == Queimadura ==

Queimadura de 2º grau

 
Nas queimaduras de 2º grau ocorre a formação de flictenas (bolhas) e destacamento epidérmico. Neste caso, não haverá formação de cicatriz.
Físicos == Temperatura == Queimadura ==

Queimadura de 3º grau

 
Queimaduras de terceiro grau destroem toda a pele, incluindo a camada germinativa. Desta forma, a pele não se recompõem normalmente e é substituída por tecido fibroso: cicatriz.
Físicos == Temperatura == Queimadura ==

Queimadura de 4º grau

 
Na queimadura de quarto grau, tecidos profundos são destruídos e observa-se carbonização.
Físicos == Temperatura == Queimadura ==

Queimaduras em crianças

 
Atualmente os acidentes domésticos com crianças representam um grande problema social.

As crianças se queimam na cozinha ao mexer nos cabos das panelas em cocção e, podemos reduzir estes acidentes evitando crianças na cozinha e também posicionando os cabos das panelas fora do alcance.

Clique aqui para ver uma campanha educativa
Físicos == Temperatura == Queimadura ==

Cicatrizes de queimadura

 
Caso de pessoa que sofreu queimaduras de terceiro grau há tempos.
Observe as cicatrizes nas regiões queimadas, com interferência das vestes.
Observe também as regiões doadoras de enxerto, com hipocromia.

Físicos == Pressão ==

Pressão

 
As lesões ocasionadas pela pressão são raras e geralmente estão relacionadas com atividades de mergulho, alpinismo e aviação.

Um disparo de arma de fogo em focal fechado e pequeno pode produzir lesões como rotura timpânica.

Um avião comercial que vôe a 37.000 pés, mantém a pressão interna equivalente à pressão de 8.000 pés. Caso ocorra uma descompressão, quanto mais súbita ocorra, maiores serão os problemas. Isto, sem falar na questão da baixa de oxigênio.

No caso dos mergulhadores, a fisiopatologia decorre da descompressão súbita e formação de gases no sistema circulatório. A cada 10m de profundidade na água, a pressão aumenta 1 atmosfera, ou seja, a 30 metros o mergulhador está sujeito a uma pressão total de 4 atmosferas.

Quando o mergulhador submerge a pressão aumenta e a tuba auditiva pode não estar pérvea, impossibilitando a equalizando da pressão entre o ouvido médio e o externo. Esta diferença de pressão pode levar a ruptura timpânica, produzindo dor e comprometimento da audição.

Caso o mergulhador esteja com a cabeça desprotegida na água fria, a entrada abrupta de água no ouvido médio causa vertigem (vertigem alternobárica), desorientação e náusea. O mergulhador pode vomitar e afogar-se. O uso de tampões de ouvido é desaconselhado, pois cria um espaço fechado entre o tampão e a membrana timpânica onde a pressão não pode ser igualada.

Um mergulhador a 10 metros de profundidade, inspira uma o dobro de ar (em massa) que inspiraria na superfície. Caso emirja sem expirar, o volume contido nos pulmões dobra e pode causar rupturas pulmonares fatais.

A embolia gasosa é o obstrução de vasos sangüíneos por bolhas de ar na corrente sangüínea, geralmente decorrentes da expansão do ar retido nos pulmões enquanto a pressão diminui durante a emersão em um mergulho. Ocorre também a formação de bolhas a partir dos gases dissolvidos no sangue e nos tecidos, que formam bolhas que obstruem o fluxo sangüíneo e causam dor e outros sintomas.

Por isso, existe a necessidade de usar tabelas de tempos de descompressão em função da profundidade e do tempo de mergulho e da mistura utilizada.

A escola "Net-diver school" oferece pela internet um curso grátis para quem deseja obter uma licença para mergulho em águas abertas. No site você encontra diversas informações úteis de como utilizar a tabela de mergulho reproduzida neste tópico. Clique aqui para acessar o site da "Net-diver school"
Físicos == Radioatividade ==

Radioatividade
  • As lesões decorrentes da radioatividade são mais comumente produzidas por aparelhos de raios X ou por substâncias radioativas de uso medicinal ou industrial.
  • Existe uma grande preocupação das autoridades com os atentados radioativos, utilizando, por exemplo, as chamadas “bombas sujas”, nas quais o componente radioativo não é utilizado para a explosão, mas é simplesmente espalhado por uma explosão convencional.
  • As lesões locais são conhecidas como radiodermites e podem ser:
    • Agudas
      • PRIMEIRO GRAU - Formas depilatória ou eritematosa
      • SEGUNDO GRAU - Geralmente representada por ulceração dolorosa, recoberta por crosta sero-purulenta
      • TERCEIRO GRAU - Apresentam zonas de necrose
    • Crônicas
      • Podem apresentar as formas úlcero-atrófica, telangiectásica ou neoplásica.

Físicos == Luz ==

Luz

 
  • A intensidade luminosa excessiva pode causar danos ao aparelho visual, de forma crônica ou aguda.
  • O esforço crônico em situações de luminosidade inferior à adequada também pode resultar em lesões.
  • Radiação luminosa em espectros diversos do habitual, como ultra-violeta, podem causar lesões (no caso, opacificação do cristalino).

Físicos == Som ==

Som

 

Exposição crônica pode levar à debilidade ou perda auditiva irreparável.

Exposição aguda de grande intensidade também pode produzir lesões.

A intensidade sonora é medida em decibéis. Observe a tabela abaixo:

Qualidade do Som Decibéis Tipo de Ruído
muito baixo 0-20 farfalhar das folhas
baixo 20-40 conversação silenciosa
moderado 40-60 conversação normal
alto 60-80 ruído médio de fábrica ou trânsito
muito alto 80-100 apito de guarda e ruído de caminhão
ensurdecedor 100-120 ruído de discoteca e de avião decolando
  140 disparo de arma de fogo

As perdas auditivas ocorrem de forma diferente para cada tipo de freqüência.


Físicos - Mecânicos

 
  • Decorrentes da energia cinética
    • Movimento
    • MV2/2
  • Lesões produzidas pela "desaceleração" do instrumento


Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Contundente
  • Fonte de energia
    • Cinética movimento
  • Transferência
    • Por um plano sem pontas ou arestas
  • Contato
    • Ortogonal
    • Oblíquo
    • Tangencial
  • Lesões
    • Contusas
  • Instrumentos típicos
    • Piso
    • Parede
    • Mão
    • Veículo
    • Pedra
    • Pau
  • Gravidade da lesão (generalização)
    • Leves
      • Rubefação
      • Edema traumático
      • Equimose
      • Escoriação
      • Bossa
    • Média
      • Ferida contusa
      • Entorse
      • Luxação
    • Intensa
      • Fratura
      • Rotura visceral
      • Esmagamento
      • Avulsão
    • Exceções
      • Edema cerebral intensa
      • Ferida contusa pequena leve
      • Escoriação profunda média
  • Local da lesão
    • Direto
      • Lesão no ponto de impacto
      • Ex: escoriação
    • Indireto
      • Lesão fora do ponto de impacto
      • Ex: impacto frontal e hematoma subdural occipital
    • Misto
      • Lesão no local do impacto e fora deste
      • Ex: edema traumático frontal e hematoma subdural occipital
  • Origem da energia
    • Ativo
      • Objeto em movimento
      • Corpo em repouso
    • Passivo
      • Objeto em repouso
      • Corpo em movimento
    • Misto
      • Objeto em movimento
      • Corpo em movimento


Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Rubefação

 
  • Sinônimo
    • Científico hiperemia
    • Popular vermelhidão
  • Instrumentos típicos
    • Mãos Tapas
    • Dedos Beliscões
    • Cinto
  • Produção
    • Liberação de histamina
      • Vasodilatação capilar
        • Não ocorre lesão vascular
        • Não ocorre saída de sangue ou líquidos dos vasos
  • Cronologia
    • Aparece em instantes
    • Desaparece em minutos ou poucas horas
      • o exame deve ser realizado imediatamente
  • Diagnóstico diferencial
    • Equimose
      • Não desaparece à pressão o sangue saiu dos vasos
      • Espectro cromático vermelho; azulado; violeta ...
      • Uma equimose pode suceder uma rubefação
  • Controvérsia
    • Autores como Damásio não a consideram lesão corporal
    • Nós consideramos!

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Edema Traumático

 
  • Elevação e palidez da pele na área do impacto
  • Surge após 1 a 3 minutos
  • Tríplice reação de Lewis
    • hiperemia no ponto de impacto
    • extensão da hiperemia para a área ao redor
    • palidez da zona central pelo edema

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Equimose

 
  • Infiltração de sangue na malha dos tecidos
  • Devido à rotura de capilares
  • As que surgem à distância resultam da migração do sangue extravasado ou por aumento da pressão venosa por compressão das veias de drenagem
    • Ex: petéquias em conjuntivas oculares no estrangulamento, enforcamento
  • As equimose, exceto as espontâneas e as post-mortem, atestam que houve ação contundente e que havia vida no momento da lesão.
  • Tipos
    • Petéquias - cabeça de alfinete - desaparecem mais rápido que as demais
    • Sugilação - confluência de numerosas lesões puntiformes em uma área bem definida - grãos de areia
    • Sufusão - formada por uma "hemoragia" mais extensa - mantém o centro violáceo e as mudanças de cor ocorrem na periferia
  • Equimose espontânea
    • Não se relacionam às contusões
    • Não possuem sede preferencial
    • Têm distribuição simétrica no corpo
    • Acompanhadas por outros sinais de doenças hemáticas
  • Equimoses post-mortem - surgem nas regiões de livores intensos
  • Nevus azul - (pardo-escuro) - deposição congênita de melanina na região sacra - não é equimose
  • Evolução cromática da equimose
    • deve-se à progressiva reabsorção da "hemorragia" pela ação dos macrófagos.
    • O núcleo heme perde o Fe que se agrupa em moléculas para formarem os grãos de hemossiderina e o resto da heme é transformado em biliverdina e bilirrubina.
    • 1 a 3 dias - vermelho-violáceo
    • 3 a 6 dias - azul
    • 7 a 10 dias - verde
    • 10 a 15 dias - amarela


Físicos - Mecânicos == Contundente == Equimose ==

Palpebral

 
  • Lesão comum em
    • agressões
      • familiares
        • contra mulheres
        • contra crianças
    • acidentes leves
  • Local do trauma
    • Ação direta
      • socos ou tapas
      • acidentes de trânsito
      • quedas
    • Ação indireta
      • Fraturas de base de crânio - Sinal do Guaxinim
  • 4 pálpebras
    • bipalpebral bilateral = 4
    • bipalpebral esquerdo = 2
    • palpebral inferior esquerdo = 1

Físicos - Mecânicos == Contundente == Equimose ==

Em Barra

 
  • Produção
    • Instrumentos roliços
      • cacetetes
      • pedaços de ferro ou madeira
      • taco de basebol
      • taco de sinuca
  • Aspecto da lesão
    • duas equimoses lineares (víbices) paralelas com centro livre
  • Mecanismo
    • No local do impacto
      • A própria pressão do objeto protege os capilares da ruptura
    • Na periferia
      • o aumento de pressão produzido pelo impacto produz a ruptura de capilares

Físicos - Mecânicos == Contundente == Equimose ==

Petéquia

 
  • Pequenas equimoses puntiformes
  • Causas
    • Direta
      • traumática
    • Indireta
      • asfixias
        • pleura visceral
        • pericárdio
      • diátese hemorrágica
        • púrpura
        • coagulopatia

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Hematoma

 
  • Definição
    • continuidade lacustre sangüínea causada pelo rompimento de vasos
  • Fisiopatologia
    • Pressão dos vasos suficiente para
    • dissecar os tecidos formando uma verdadeira bolsa
  • Mais incomuns que as equimoses
  • Raríssimo visualizável na superfície do corpo
    • Geralmente confundido com as equimoses
  • Comuns em traumatismos intensos
    • crânio-encefálicos - gera aumento de pressão intra-craniana
      • hematoma extra-dural - entre o osso e a dura-mater
      • hematoma subdural - abaixo da dura-mater
      • hematoma subaracnóideo - entre a aracnoide e o cérebro
      • hematoma intraparenquimatoso - intra-cerebral
    • Viscerais
      • Hematoma sub-capsular do baço
        • rompimento dias após o trauma - pode causar óbito

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Bossa

 
  • Coleção de fluidos (seroso ou sero-sangüineo) que se acumula quando existe plano subjacente resistente e impermeável.
  • Popularmente chamado de "galo"
  • No recém-nascido é comum uma bossa sanguinolenta: Caput succedaneum, que indica que o feto estava vivo no momento do parto

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Escoriação

 
  • Modo de produção
    • Agente contundente desliza sobre a pele
    • Arrancamento traumático da epiderme
    • Exposição da derme
  • Profundidade - depende da pressão e aspereza
    • Superficial
      • Atinge a camada espinhosa e dá origem a exsudação de líquido incolor e crosta serosa
    • Intermediária
      • Atinge as papilas dérmicas e dá origem a pontilhado hemorrágico e sero-hemorrágica
    • Profunda
      • Atinge a derme e dá origem à coagulação hemorrágica e crosta hemática
  • Forma
    • Arrastão - Pincelada
    • Algemas - escoriações lineares paralelas
    • Estrangulamento - escoriação linear em forma de sulco horizontal
  • Evolução
    • Variáveis para o tempo de reparação
      • Profundidade
      • Vascularização
      • Velocidade de renovação epitelial
    • 18 a 24 horas > Células diferenciadas do epitélio vizinho iniciam a cobertura da área lesada
    • 7 dias > Crosta de consistência firme começa a se levantar na periferia e expõe superfície rósea pela ausência de melanina e presença de novos capilares
    • até 6 meses > Desaparece sem deixar cicatriz, exceto nas profundas
    • Nas profundas ocorre reparação mais lenta e formação de fibrose: cicatriz
  • Lesão Post Mortem
    • Não ocorre exsudação
    • A exposição da derme desidratada produz placa amarelada, apergaminhada, de consistência firme, coureácea
  • Lesões ungueais
    • Humanas
      • Arciformes > determinando a posição da mão do agressor
      • Em faixas paralelas > determinam a posição do agressor, a direção e sentido do movimento
    • Animais
      • Puntiformes
      • Lineares paralelas


Físicos - Mecânicos == Contundente == Escoriação ==

Em Pincelada

 
  • Produção
    • Fricção da pele contra superfícies rugosas
    • Cada proeminência da superfície produz uma escoriação linear
    • Superfícies que geralmente produzem escoriações em pincelada
      • asfalto
      • cimento
      • chapisco
  • Permite identificar com clareza
    • Direção
    • Sentido
      • Geralmente do polo mais intenso para o menos intenso

Físicos - Mecânicos == Contundente == Escoriação ==

Em Placa

 
  • superfície com escoriação contínua, constituindo uma "placa" irregular
  • causada por superfícies
    • regulares
    • irregulares, com grande pressão, situação onde a escoriação que seria em pincelada, por ser mais profunda, apresenta coalescência dos "sulcos", transformando-se em placa

Físicos - Mecânicos == Contundente == Escoriação ==

Ungueais

 
  • produzidas por unhas, humanas ou de animais
  • forma
    • arciformes
    • em faixas paralelas - geralmente em número de três ou quatro
  • localização preferencial
    • pescoço (esganadura)
    • face
    • tórax
    • membros superiores
  • o exame do conteúdo sub-ungueal do agressor pode revelar material genético da vítima

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Ferida Contusa

 
  • Solução de continuidade que interessa toda a pele e subcutâneo
  • O agente contundente força a epiderme de encontro a derme e esta de encontro ao osso. A epiderme é arrancada e as fibras da derme deslocadas.
  • As bordas apresentam-se escoriadas, as vertente anfractuosas, infiltradas por sangue e ligadas por pontes de tecido, e o fundo sujo e irregular
  • Instrumento arredondado forma lesão estrelada, irregular, com fissuras partindo do centro da lesão
  • Instrumento cilíndrico forma ferida linear de bodas escoriadas e solapadas
  • Se o agente age de forma lenta e continuada, em movimento de deslizamento (tração), sobre o segmento, a pele se rompe em vária fendas irregulares e paralelas até interessar toda a espessura. As margens não são escoriadas e estão particularmente deslocadas do subcutâneo unido por extensas traves de tecido íntegro
  • As feridas contusas atestam a ação contundente e raramente indicam o agente

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Entorse
  • Estiramento da cápsula de uma articulação com ou sem rotura ligamentar que ocorre quando a amplitude dos movimentos articulares é ultrapassada por forças externas.
  • Os tecidos periarticulares são infiltrados por sangue, com conseqüente reação inflamatória para reabsorção. (derrame)
  • O estiramento da região, ricamente inervada, provoca muita dor.
  • Pode levar à incapacidade por mais de trinta dias.

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Luxação
  • Lesão de natureza grave - deslocamento permanente das superfícies articulares.
  • A cápsula articular sofre rotura em seus pontos fracos e produz derramamento de líquido sinovial.
  • Geralmente por ação à distância
  • Caso não seja realizada redução, ocorrem aderências fibrosas das superfícies articulares nas novas relações anatômicas.
  • Pode ocorrer arrancamento de pequenas tuberosidades ósseas e ruturas de pequenos músculos ou tendões, além de compressões vasculares e nervosas.
  • Mais comum nos Homens e em MMSS
  • As crianças são menos vulneráveis pois têm articulações mais flexíveis e os velhos porque possuem os ossos enfraquecidos, que se fraturam com facilidade

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Fraturas
  • Solução de continuidade de estruturas duras, mineralizadas
    • ossos
    • dentes
  • Causas comuns
    • contundentes
    • pérfuro-contundentes


Físicos - Mecânicos == Contundente == Fraturas ==

Fraturas ósseas

 
  • Solução de continuidade no osso
  • Podem surgir por
    • Mecanismo direto
    • Flexão exagerada (diáfise femural)
    • Torção (ossos da perna)
    • Arrancamento (calcâneo)
    • Esmagamento (rádio)
  • Tipos
    • Exposta - quando se comunica com o exterior através de feridas cutâneas de bordas escoriadas e irregulares
    • Patológica - quando surge espontaneamente, geralmente no osso enfraquecido
    • Completa - divide o osso em dois ou mais fragmentos - geralmente se deslocam
    • Incompleta - galho verde - afundamento de osso esponjoso
  • Consolidação de osso longo 20 ou 30 dias
    • Entretanto, a cura fisiológica completa ultrapassa muito este tempo
      • afastamento das ocupações habituais por mais de trinta dias
  • Pseudo-artrose
    • interposição de tecidos moles
    • necessidade de cirurgia corretiva
  • Fraturas articulares - epifisárias são graves e favorecem aderências

Físicos - Mecânicos == Contundente == Fraturas ==

Fraturas dentárias

 
  • Fraturas dentárias
    • Coronárias - atingem a coroa
      • Passíveis de correção
        • pequenas fraturas - restaurações fotopolimerizáveis
        • grandes fraturas - coroas artificiais
    • Radiculares - atingem a raiz
      • Geralmente levam à perda dentária
  • Podem atingir a polpa dentária
    • Em dentes vitalizados leva, geralmente, à necessidade de tratamento endodôntico

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Rotura Visceral

 
  • Mais freqüentes no abdome
  • Qualquer que seja a sede constitui perigo de vida
  • Tórax
    • O gradil costal e o esterno tornam o tórax menos compressível
    • As roturas pulmonares estão associadas às fraturas de costelas, que penetram o órgão causando hemopneumotórax e enfisema
    • A inundação dos alvéolos pelo sangue desperta reação fagocitária que deixa cicatriz fibrosa
    • A compressão ântero-posterior pode levar à rotura do coração (paredes direitas são menos resistentes) e de vasos da base
    • As lesões da aorta situam-se
      • abaixo da emergência da subclávia (colisões e esmagamentos)
      • porções ascendentes da crossa (quedas)
  • Abdome
    • Impactos no abdome aumentam a pressão intra-abdominal e as vísceras tendem a insinuar-se pelas brechas da parede.
    • O diafragma tende a romper-se na porção mais fraca - entre a porção tendinosa e os feixes posteriores com herniamento para a cavidade pleural
    • Estados patológicos que aumentam o volume ou friabilidade do órgão aumentam o resultado
    • Vísceras ocas lesionam-se mais quando cheias de líquidos ou alimentos (não compressíveis), especialmente o duodeno, por estar fixado à parede posterior.

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Avulsão Dentária

 
  • Conseqüências
    • Debilidade das funções
    • Mastigatória
    • Fonética
    • Prejuízo estético
  • Tratamento
    • Possibilidade de reimplante dentário
      • Grande chance de insucesso
    • Prótese fixas
      • Convencionais
      • Adesivas
      • Implantes
    • Próteses removíveis

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Esmagamento

 
  • Todos os planos anatômicos de um segmento são comprimidos e distorcidos.
  • Produzido de agente com grande energia cinética, geralmente grande massa.
  • Parte moles - extensamente laceradas
  • Ossos - fraturas cominutivas
  • Destruição extensa dos tecidos
    • Perda sanguínea importante
      • Excita terminações nervosas
        • Libera substâncias nocivas na circulação
          • Síndrome do esmagamento - insuficiência renal aguda por depósito de mioglobina nos túbulos renais

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Lesões Corporais em odontologia

 
  • Periciando de 9 anos de idade
  • Colisão entre bicicleta e  automóvel
    • agente contundente
  • Avulsões dentárias
    • debilidade permanente da
      • função mastigatória
      • função fonética
    • deformidade permanente
      • importante dano estético

Físicos - Mecânicos == Contundente ==

Acidentes de trânsito

 
Nas vias de Brasília sempre nos deparamos com acidentes de trânsito, alguns muito graves.

Físicos - Mecânicos == Cortante ==

Cortante

 

Ver Slides Sobre Lesões Incisas

  • Produzidas pela ação de deslizamento de gume afiado
  • Instrumentos
    • Típicos
      • navalha
      • lâmina de bisturi
      • faca afiada
    • Atípicos
      • folha de papel
      • linha com pó de vidro ("cerol")
      • capim (capim navalha)
  • Características das lesões
    • pouco profundas
    • profundidade inicial maior e terminal menor
    • cauda de escoriação
    • bordas regulares - boa coaptação
    • sangrantes - seção de vasos
  • Ordem das lesões
    • Sinal de Chavigni
    • A segunda lesão encontra a primeira já retraída
    • Só é possível se secantes e não perpendiculares

Físicos - Mecânicos == Perfurante ==

Perfurante

 

Ver Slides Sobre Lesões Punctórias

  • Calibre pequeno
    • Instrumentos clássicos
      • Alfinete
      • Agulha
      • Espinho
      • Prego
      • Dente de cobra
    • Lesão
      • Ferida Punctória
        • Em botoeira
        • Diâmetro pequeno
        • Recoberto por crosta hemática
        • Sangramento
          • Inexistente ou pequeno, mesmo que atinja um vaso ou grande profundidade
      • Produção
        • Simples afastamento tissular
        • Retorno imediato com obliteração do pertuito
  • Calibre médio (pode ser pérfuro-contundente)
    • Instrumentos clássicos
      • Picador de gelo
      • Flecha roliça
      • Vergalhão com ponta
    • Lesão
      • Ferida em botoeira
        • Biconvexa alongada
        • Bordas regulares e simétricas
        • Proporcional ao diâmetro da haste
        • Sangramento
          • A depender das estruturas lesadas
        • Direção acompanha as linhas de tensão do corpo
          • Mesma direção em partes iguais do corpo
          • Forma bizarra nos pontos de encontro de linhas de força
          • Forma de fenda paralela às fibras musculares nas vísceras ocas
        • Forma de cone invertido no osso
    • Produção
      • Afastamento e divulsão tissular
      • Não ocorre o retorno, permanecendo a lesão aberta
    • Diagnóstico diferencial
      • Feridas por pérfuro-cortantes de dois gumes
      • Diferenças
        • Pérfuro-cortantes
          • não seguem linhas de tensão
          • seccionam fibras
  • Prognóstico
    • Estruturas lesadas
    • Infecção superveniente
      • Tétano
        • Principalmente nas punctórias anaerobiose

Físicos - Mecânicos == Corto-Contundente ==

Corto-Contundente

 

Ver Slides Sobre Lesões Corto-Contusas

 

  • Produção
    • Transferência da energia cinética de forma mista
      • ação cortantes
      • ação contundente
  • Instrumentos característicos
    • machado
    • dentes incisivos
    • facões mal amolados
    • guilhotina
    • rodas de trem
  • Características
    • bordas irregulares
    • margens que não se coaptam
    • sangramento menor que as feridas incisas
    • não apresentam pontes de tecido no fundo da lesão
    • não apresentam cauda de escoriação

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Cortante ==

Pérfuro-Cortante

 

Ver Slides Sobre Lesões Pérfuro-Incisas

 

  • Produzem lesões pérfuro-contusas
    • Perfuram - ponta
    • Cortam - gume
  • Instrumentos típicos
    • quando utilizados com movimento na direção do longo eixo da lâmina
      • punhal
      • faca
  • Quanto à quantidade de gumes
    • Um gume - faca
    • Dois gumes - punhal
    • Mais de dois gumes - lima
  • Características
    • Profundidade maior que largura
    • Hemorragias internas
    • Lado do gume mais agudo
    • Eventual sinal de torção do instrumento
    • Lesão pode ser mais profunda que o instrumento
      • lesão em acordeão de Lacasagne


Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Cortante ==

Caso múltiplas facadas

 
Neste caso, várias lesões, a maioria pérfuro-incisas e algumas incisas.

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente ==

Pérfuro-Contundente

Ver Slides Sobre Lesões Pérfuro-Contusa (PAF)

  • Lesão
    • Pérfuro-contusa
  • Instrumentos
    • Projetil de arma de fogo PAF
    • Outros instrumentos
      • Picador de gelo
      • Amolador de facas


Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente ==

Não Projetis de Arma de Fogo
Um espeto de um churrasco comporta-se como um instrumento perfuro-contundente.
Ou seja, apesar da maior parte do capítulo pérfuro-contundentes ser dedicado aos Projetis de Arma de Fogo, existem diversos outros exemplos:
  • dentes caninos de um tigre
  • espeto de churrasco
  • vergalhão
  • picador de gelo
  • afiador de faca

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente ==

Projetis de Arma de Fogo
O que define um projetil de arma de fogo é a origem da energia a ser convertida em cinética, que no caso, é a pólvora.

Os projetis de arma de fogo quando disparados se comportam, quase sempre, como instrumentos perfuro-contundente.

Ocasionalmente, o projetil atinge o corpo em trajetória transversal ao seu longo eixo, ou seja, "de lado". Nestes casos comporta-se mais a um instrumento contundente.

Os projetis de elastômero, "balas de borracha" são, essencialmente, instrumentos contundentes.  

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo ==

Lesão por onda de choque

 
As lesões produzidas pela passagem de um projetil de arma de fogo no corpo se estendem além do trajeto, em decorrência de ondas de choque.
São muito mais comuns em projetis de alta energia, mas, eventualmente, podem ser encontradas em projetis de baixa energia, naturalmente com menor alcance e menor intensidade.
Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo ==

Projetis únicos

 
  • Lesões de Entrada
    • Produzidas pelo projetil
      • Orifício
        • Forma circular ou oval
        • Diâmetro geralmente menor que o projetil
        • Bordas geralmente invertidas
        • Irregular quando roupa grassa é comprimida contra a pele
      • Orla de escoriação
        • arrancamento da epiderme
        • pode ser observada na saída quando a pele é comprimida contra anteparo
        • aumentada quando roupa grossa é comprimida contra a pele
      • Orla de enxugo
        • exclusiva da entrada
        • por vezes observada nas vestes
      • Orla equimótica
        • mais importante para caracterizar reação vital
        • infiltração hemorrágica ao longo do trajeto
        • observada até o orifício de saída
    • Produzidas pelas chamas = À queima-roupa
      • Orla de queimadura
        • Queima pele
        • Cresta pelos
        • Pode se limitar à roupa
    • Produzidas pela pólvora combusta = À queima-roupa
      • Orla de esfumaçamento - de tisnado
        • resíduos da combustão
        • cor cinza ou negra
        • sai com água e sabão
    • Produzidos pela pólvora incombusta = À queima-roupa
      • Orla de tatuagem
        • grãos de pólvora não queimados ou ainda em combustão
        • fragmentos de chumbo nos projetis não encamisados
        • nos tiros oblíquos > [ ]do lado do tiro
    • Produzidos pela pressão dos gases Tiros encostados
      • Caso tenha plano ósseo subjacente
        • Hofmann, buraco de Mina de ferida estrelada com bordas solapadas e escurecidas
        • Bonnet, sinal de cone e base voltada para dentro - traços de fratura radiais (não é exclusivo)
        • Benassi, sinal de anel acinzentado - resíduos de pólvora no osso (excepcionalmente encontrado em disparos à queima-roupa)
      • Caso não tenha plano ósseo
        • a pele recua mas não se rompe como no couro cabeludo
        • Caso a pressão da arma contra a pele seja pequena - esfumaçamento raiado
        • Werkgartner, sinal de impressão da boca do cano da arma
          • Causada pelo calor
          • Logo se Apergaminha
    • Produzida pela bucha (presentes em cartuchos de múltiplos balins)
      • Plástico, papelão, polímeros
      • Atingem cerca de 7 metros
      • Algumas buchas plásticas se abrem em cruz
      • Lesão não coincidente com o orifício
  • Lesões no trajeto
    • Vísceras maciças
      • Feridas estreladas na entrada e na saída propagação da onda no líquido
    • Pulmão
      • Absorve a energia sem se lacerar
    • Artérias calibrosas
      • Entrada e saída estreladas
      • Caso de raspão fenda
    • Vasos médios
      • Rompimento completo
    • Coração
      • Circular ou ovalar
      • Bordas esgarçadas
      • Halo hemorrágico epicárdico
      • Rotura de feixe de fibras na luminal
  • Saída
    • Geralmente maior que a entrada
    • Forma
      • Bordas evertidas
      • ferida estrelada, em fenda, circular
    • Escoriação caso comprima a pele contra anteparo
    • Podem haver mais saídas que projéteis
      • Fragmentação
      • Esquírolas ósseas/dentárias


Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos ==
Entrada
Lesões de entrada de projetis de arma de fogo.

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos == Entrada ==
A distância

 
Entrada de projetil de arma de fogo à distância.
Presença de lesões exclusivas do(s) projetil(s).
Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos == Entrada ==
A curta distância ( a queima-roupa)

 
  • Sinonímia
    • Curta distância
  • Características
    • Pólvora
      • Combusta
        • Esfumaçamento
      • Incombusta
        • Tatuagem
    • Chama
      • Queimadura

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos == Entrada ==
Encostado
Lesões de entrada de projetil de arma de fogo encostado.


Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos == Entrada == Encostado ==
Câmara de Mina de Hoffman e Sinal de Benasi

 
A câmara de mina de Hoffman ocorre nos disparos encostados nos quais existe osso subjacente à pele, como ocorre na calvária.
Ocorre a formação de uma bolsa de pressão subperiosteal com explosão radial do orifício de entrada.

O sinal de Benasi, esfumaçamento/queimadura óssea, geralmente acompanha a câmara de mina.

Observe que Hoffman é sinal de tecidos moles, perecível com a putrefação, ao passo que Benasi não.
Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos == Entrada == Encostado ==
Marca do Cano Quente - Werkengartner

 
A marca do cano quente ocorre nos disparos encostados, nos quais não existe plano ósseo subjacente. Em casos raros é possível visualizar a massa de mira, o pino da mola recuperadora (pistolas) ou outro pormenor da boca do cano da arma.

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos ==
Saída

 
Lesões de saída de projetis de arma de fogo.
Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos ==
Tangencial

 
Disparo tangencial é aquele que toca a pele sem adentrá-la.
Produz lesão em canaleta.
Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos ==
Ângulo de Incidência

 
  • Ângulo do tiro
    • Ortogonal
      • Orifício e orlas circulares
    • Oblíquo
      • Maior contato e atrito onde o ângulo é agudo
      • Enxugo e escoriação arciformes - maiores do lado de menor ângulo
      • Tatuagem e esfumaçamento
        • Ovais
        • Borda arredondada próxima ao orifício e com maior densidade
    • Tangente
      • Ferida escoriada de bordas irregulares e sem orifício - em canaleta
      • Se o contato é superficial - apenas faixa de escoriação
    • Trajeto subcutâneo
      • Ferida em sedenho


Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos == Ângulo de Incidência ==
Incidência no crânio oblíqua

 

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos ==
Caso PAF 01

 
Neste caso, ocorreram, no mínimo, 6 disparos de arma de fogo.

Apenas cinco projetis de arma de fogo atingiram o corpo. Um dos projetis não tocou a vítima, entretanto, podemos concluir pela ocorrência deste disparo pela presença de tatuagem na região bucinadora esquerda, que não poderia ter sido produzida pelos outros cinco disparos.

A numeração utilizada não corresponde, necessariamente, à ordem dos disparos.

O projetil n. "3" foi disparado encostado na vítima. Observe a lesão e também as alterações na roupa. Este disparo foi oblíquo em relação à superfície do corpo.

O projetil n. "6", que não atingiu o corpo, foi disparado a curta distância.

Os projetis "1", "2", "4", "5" foram disparados à distância. As vestes não apresentavam sinais secundários do disparo.  
Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis únicos ==
Caso PAF 02

 
Neste caso, apesar da putrefação, foi possível constatar que o disparo de arma de fogo ocorreu encostado à vítima.

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo ==

Projetis múltiplos
Cartucheira ou espingarda, são armas de cano longo e alma lisa, isto é, o cano não possui raiamento, e disparam, geralmente, cartuchos com múltiplos balins. Naturalmente ocorre, ao longo da trajetória, uma dispersão dos balins, o que permite o cálculo da distância do disparo.

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis múltiplos ==
Disparo encostado

 
Neste caso de disparo encostado de cartucheira "12", é possível observar o esfumaçamento e ausência completa de dispersão dos balins na trajetória.
Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis múltiplos ==
Sem dispersão

 
Neste caso, a distância entre a boca do cano da arma e a vítima foi insuficiente para a dispersão dos múltiplos balins.
Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis múltiplos ==
Início da dispersão

 
Neste caso, um grupo de balins chegou ao alvo em conjunto, enquanto outros iniciaram a dispersão.
Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Projetis múltiplos ==
Disparo a distância

 
Nas lesões a distância por espingardas, cartucheiras, com múltiplos balins, observa-se a dispersão dos bagos, proporcional à distância entre a boca do cano da arma e a vítima.

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo ==

Sinal do Funil

 
O sinal do funil (embudo, Bonnet) constitui-se de uma diferença significativa nas dimensões de entrada e saída em determinado osso.

Este efeito é mais pronunciado na calvária, em função da diploe.

O projetil de arma de fogo produz um orifício menor na primeira tábua óssea e outro menor na segunda tábua óssea.

Observe que, no caso de uma transfixação da calvária, teremos o sinal do funil na entrada e na saída da calvária. O que muda é o sentido do projetil, sempre do menor para o maior.

A explicação deste fenômeno é que a primeira tábua óssea está, de certa forma, apoiada pela segunda e, esta, não apresenta apoio efetivo. Além disto, o projetil sofre deformação e mudança na sua orientação.

No caso da transfixação, apesar da diminuição da energia, o funil da saída na calvária é, em geral, todo maior que o da entrada.

O sinal do funil é melhor observado nos disparos com projetis únicos, mas pode estar presente também nos de projetis múltiplos, em especial naqueles com poucos e grandes balins.
Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo ==

Reação Vital
  • Identificação de reação vital
    • Presunção
      • Hemorragia
    • Certeza
      • Infiltração hemorrágica no trajeto
      • Grandes hemotórax e hemoperitôneos
      • Aspiração de sangue para o parênquima pulmonar
      • Volumoso coágulo pericárdico
      • Tempo de sobrevivência
        • reação inflamatória
          • congestão
          • edema
          • afluxo fagocitário

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo ==

Exame Radiográfico

 
Exame radiográfico em projetil de arma de fogo.
Fragmentos metálicos; esquírolas ósseas; fraturas; projetis.
Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo ==

Identificação atirador
  • Identificação do atirador
    • Incrustações de chumbo visível a olho nú - projetil de chumbo nú
    • Pesquisa por microscopia eletrônica de varredura de partículas metálicas características - coleta com ponta de carbono ou, na falta, fita dupla face
      • face radial e dorsal do indicador
      • prega entre indicador e polegar
      • dorso do polegar
      • palma da mão
    • prova da parafina
      • Reagente de LUNGE - azul quando positiva
      • Abandonado pelo FBI desde 1935
        • Pode ser positivo para quem não atirou falso positivo
        • Pode ser negativo para quem atirou falso negativo

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo ==

Causa jurídica
  • Homicídio
    • Múltiplos
    • Regiões
      • Face posterior do corpo
      • Fronte
      • Superior do crânio
  • Suicídio
    • Único
    • Encostado ou à queima roupa
    • Regiões
      • Temporal / conduto auditivo
      • Direito destros
      • Esquerdo sinistros
      • Boca
      • Ínfero-superior
      • Precórdio
      • Epigástrio < freq.
  • Acidente
    • Incaracterístico

Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo ==

Armas de fogo
  • Arma de fogo
    • São armas cuja energia provém da detonação da espoleta e da combustão da pólvora.
  • Tipos de armas de fogo portáteis
    • Curtas
      • Revólver
        • De repetição
        • Manual
          • Energia do gatilho aciona o mecanismo
        • Não automática
        • Um só cano de alma raiada
        • Várias câmaras de combustão - tambor
      • Pistola
        • De repetição
        • Semi-automática (excepcionalmente automáticas)
          • Energia da deflagração aciona o mecanismo
        • Um só cano de alma raiada
        • Uma câmara de combustão no próprio cano
        • Carregador "pente"
    • Longas
      • Espingarda
        • Um ou dois cano de alma lisa
        • De repetição ou não
      • Carabina
        • Um cano de alma raiada de até 20` (50,8cm)
        • De repetição
          • Energia para municiamento
            • Tipo bomba
            • Lever action
      • Rifle
        • Um ou dois canos de alma raiada > 20` (50,8cm)
        • Manual, de repetição não automático ou semi-automático
      • Fuzil
        • Um cano de alma raiada
        • De repetição
        • Automática
          • Rajada ou intermitente
        • Pode lançar granadas
        • FAL Fuzil Automático Leve
      • Mosquetão
        • Um cano de alma raiada geralmente de 30`(76,2cm)
        • De repetição
        • Possui ferrolho
  • Classificação
    • Quanto ao cano
      • Lisas cartucheira
      • Raiadas revólver
    • Quanto ao número de tiros
      • Tiro único cartucheira 1 cano
      • De repetição revólver
    • Quanto ao automatismo
      • Automáticas metralhadoras - sem aliviar o dedo
      • Semi-automáticas pistolas - precisam de um movimento completo
      • Não automáticas revólver
    • Quanto à mobilidade
      • Fixas artilharia montada
      • Móveis
        • Longas fuzil, carabina e espingarda
        • Curtas revólveres, pistolas
    • Quanto ao calibre
      • Raiadas distância entre os cheios
      • Lisas n. de esferas de chumbo com o mesmo diâmetro da câmara da arma que formam 1 libra
  • Munição
    • Projétil
      • Pb
      • Encamisado Pb revestido totalmente
      • Semi-encamisado Pb revestido parcialmente
    • Estojo
      • Metálico, plástico, papelão
    • Carga
      • Nitroglicerina e nitrocelulose
        • Armas curtas combustão rápida - discos
        • Armas longas combustão longa - bastonetes e tubos
    • Espoleta
      • trinitrorressorcinato de Pb
      • Explode pela pressão gerada pelo percutor
    • Bucha
      • cartão, cortiça ou plástico
  • Balística
    • Interna impulsão dentro da arma
    • Externa trajetória (parabólica)
    • Terminal efeitos finais no alvo


Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo == Armas de fogo ==
Animação de PAF

 
Realizamos uma análise de cenas do filme Kill Bill, quando um projetil de arma de fogo é disparado, desde a percussão da espoleta até o lançamento do plrojetil.
Apesar da animação ser de primeira qualidade, o artista se esqueceu de pormenores como a diferença entre o calibre real e o nominal da arma e o efeito de rotação do projetil causado pelo raiamento helicoidal da face interna do cano da arma.

Ver o filme animado


Físicos - Mecânicos == Pérfuro-Contundente == Projetis de Arma de Fogo ==

Análise das vestes

 
A análise das vestes é fundamental nos casos de disparos de arma de fogo, pois os elementos secundários do disparo podem ficar nas vestes.

As vestes podem "filtrar" a pólvora, deixando a impressão negativa das fibras do tecido.

Químicos
Meio químico

Químicos == Ácidos e Bases ==

Ácidos e Bases

 
      As lesões por agentes químicos podem ser causadas por ácidos ou bases (álcalis).

      A lesão produzida pelo ácido sulfúrico, H2SO4, também conhecido por água de vitríolo, consagrou-se como vitriolagem, termo empregado genericamente para qualquer lesão produzida por ácidos. Era muito comum a vitriolagem intencional como meio para produção de deformidades estéticas em crimes passionais.

        As lesões por agentes químicos também podem ser internas, principalmente no trato digestivo superior e na árvore traqueobrônquica.

        A síndrome de Mendelson é um exemplo de lesão pulmonar produzida, dentre outros, pelo ácido clorídrico, proveniente do próprio organismo, suco gástrico.
Químicos == Envenenamento ==

Envenenamento
.

Físico-Químicos
  • ASFIXIAS
    • Definição geral
      • Altera a função respiratória, inibindo a hematose, podendo, em conseqüência, levar o indivíduo até a morte
    • Quatro modalidades básicas
      • Impedimento da circulação do ar
        • Orifícios
          • sufocação (travesseiro)
        • Tubo
          • engasgamento (pipoca)
          • aspiração (vômito)
      • Constricções cervicais
        • com laço
          • enforcamento (+laço + peso)
          • estrangulamento (+laço - peso)
        • sem laço
          • esganadura (-laço -peso)
      • Impedimento das excursões respiratórias
        • compressão torácica
      • Modificação no ambiente
        • afogamento
          • branco
          • azul
        • monóxido de carbono
        • confinamento
        • gases irrespiráveis
          • incêndio
    • Aspectos Legais
      • Agrava a pena quando não qualifica o crime
      • A partir de 84 meio cruel (antes era agravante)
      • DECRETO-LEI No 2.848 (Código Penal)
      • Art. 61 - São circunstâncias que sempre agravam a pena, quando não constituem ou qualificam o crime:
        ...
        d) com emprego de veneno, fogo, explosivo, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que podia resultar perigo comum;
      • Art 121. Matar alguem:
        • Homicídio qualificado
          • § 2° Se o homicídio é cometido:
            ...
            III - com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que possa resultar perigo comum;
      • LEI Nº 8.072, DE 25 DE JULHO DE 1990.
      • Art. 1o São considerados hediondos
      • I - homicídio (art. 121), quando praticado em atividade típica de grupo de extermínio, ainda que cometido por um só agente, e homicídio qualificado (art. 121, § 2o, I, II, III, IV e V);
      • Uso de gás tóxico ou asfixiante
      • Art. 252 - Expor a perigo a vida, a integridade física ou o patrimônio de outrem, usando de gás tóxico ou asfixiante:
        • Pena - reclusão, de um a quatro anos, e multa.
        • Modalidade Culposa
        • Parágrafo único - Se o crime é culposo:
        • Pena - detenção, de três meses a um ano.
      • Fabrico, fornecimento, aquisição posse ou transporte de explosivos ou gás tóxico, ou asfixiante
      • Art. 253 - Fabricar, fornecer, adquirir, possuir ou transportar, sem licença da autoridade, substância ou engenho explosivo, gás tóxico ou asfixiante, ou material destinado à sua fabricação:
      • Pena - detenção, de seis meses a dois anos, e multa.
    • Exame externo
      • Não há sinal patognomônico de asfixia
      • Cianose de face (estrangulamento e esganadura)
      • Espuma (afogamento)
      • Projeção da língua e exoftalmia (enforcamento)
      • Equimoses externas em pele e mucosa visíveis, principalmente em face, pescoço e tórax (estrangulamento e esganadura)
      • Livores cadavéricos precoces e escuros (no afogamento têm cor rósea)
    • Exame interno
      • Sangue fluido róseo
        • Podem ser encontrados coágulos frouxos
        • Vermelho vivo no envenenamento por CO
        • Densidade diminuída em afogados em água doce
      • Equimoses viscerais (Petéquias de Tardieu)
        • Vermelho intenso, arredondadas, cabeça alfinete-ervilha
        • Comum pleura, pericárdio, pericrânio, timo
        • Raro fígado, baço, intestino, meninges
      • Congestão visceral
        • Cérebro, meninges, coração, pulmões, mucosas respiratórias
        • Fígado e rins de Lacassagne no afogado


Físico-Químicos == Incêndios ==

Incêndios

 
Em incêndios, ocorre um aumento da temperatura, consumo do oxigênio e, principalmente, liberação de substâncias tóxicas, voláteis ou dispersas no ar.

Na necropsia, o encontro de fuligem indica que a vítima respirou fumaça.

Dosa-se a concentração sanguínea de monóxido de carbono, entre outros, como cianetos.  
Físico-Químicos == Constrições Cervicais ==

Constrições Cervicais


Físico-Químicos == Constrições Cervicais ==

Esganadura

 
Constrição cervical por meio de armas naturais: maõs, braços, pernas ou outros. Exemplo clássico é a "gravata".

  • Asfixia causada diretamente pela mão ou qualquer outra parte do corpo
  • Fases
    • resistência inicial
    • perda dos sentidos
    • convulsões
    • convulsões
    • insensibilidade geral
    • morte
  • Sobreviventes
    • equimoses elípticas ou arredondadas de número variável, à esquerda ou direita da linha média, produzidas pelos dedos do agressor
    • escoriações elas unhas - estigmas ungueais
    • tumefação cervical
    • disfonia
    • disfagia
    • cervicalgia à mobilidade
  • Necrópsia
    • Petéquias disseminadas pela face - Pontilhado escarlatiforme de Lacasagne
    • Exoftalmia com congestão da conjuntiva e midríase
    • Otorragia
    • Face pálida ou cianosada - depende da contrição dos vasos
    • Espuma sanguinolenta nas narinas
    • Língua protusa entre os dentes
    • Equimoses e escoriações pericervicais
  • Pescoço
    • Lesões hemorrágicas das partes moles
    • Roturas musculares
    • Fraturas nos grandes e pequenos cornos do hióide
    • Fratura das cartilagens tiróide, cricóide e aritenóide são freqüentes em velhos
    • Lesões da raque são raras e aparecem nos infanticídios
    • Lesões de carótida são exceção
    • Espuma rósea na traquéia
    • Equimose e congestão as meninges e cérebro

Físico-Químicos == Constrições Cervicais ==

Estrangulamento

 
Constrição cervical por meio de laço onde a força constritora não provém da força peso do indivíduo.

  • Sobreviventes
    • agitação
    • angústia
    • convulsões
    • espuma sanguinolenta nos lábios
    • relaxamento esfíncteres
    • disfagia
    • dor cervical
    • dispnéia
    • congestão
    • cianose da face (dificilmente o laço fecha as carótidas)
  • Necrópsia
    • Face sempre tumefeita, vultuosa e violácea
    • Língua protusa entre os dentes
    • Espuma branco-sanguinolenta na boca e narinas
    • Equimose na face e conjuntivas exteriores (petéquias)
    • Sulco
      • sede no laringe
      • direção horizontal
      • completo - várias voltas
      • profundidade uniforme
      • bordos violáceos
      • fundo pálido - pode ser pardo avermelhado pela escoriação
      • Não apergaminhado - após a morte cessa-se a força
    • Espuma rósea em laringe e traquéia
    • Congestão pulmonar
    • equimoses na meninge e cérebro
    • Pescoço
      • lesões hemorrágicas são raras
      • lesões da carótida são raríssimas
      • lesões de cartilagem e osso hióide são excepcionais

Diferencial entre enforcamento e estrangulamento

 

Enforcamento

Estrangulamento

Força
  • para cima
  • variável
Sulco
  • acima da laringe
  • alto
  • interrompido no nó
  • pergaminhado
  • profundidade variável
  • direção oblíqua ascendente
  • sobre o laringe
  • baixo
  • contínuo
  • não pergaminhado - escoriado
  • profundidade uniforme
  • direção horizontal
Violência
  • sem outros sinais
  • sinais de violência
Fraturas
  • laringe
  • hióide
  • lig. intervertebrais
  • raras
Cianose
  • bloqueio carotídeo
  • menos comum
  • sem bloqueio carotídeo
  • cianose cérvico-facial
  • congestão meníngica
  • congestão cerebral
  • equimose palpebral
  • equimose conjuntival

Físico-Químicos == Constrições Cervicais ==

Enforcamento

 
  • Sobreviventes
    • Disfagia
    • Disfonia
    • Congestão pulmonar
    • Convulsão
    • Depressão
    • Amnésia
    • Paralisia do reto e bexiga
    • Coma
  • Necrópsia
    • Face azul, cianótica, vultuosa ou de aspecto lívido, pálido
    • Equimose na face (petéquias)
    • Otorragia
    • Exoftalmia rara
    • Boca com espuma
    • Protusão língual
    • Rigidez
      • Azuis - precoce
      • Brancos - tardia
    • Livores em MMII
    • Putrefação
      • Superior - seca
      • Inferior - úmida
    • Pode ocorrer emissão de fezes ou ereção reflexa
    • Sulco
      • Interrompe-se na barba, cabelos e próximo ao nó
      • Direção oblíqua ascendente
      • Quase sempre acima da laringe
      • Classificação
        • MOLE
          • Pálido
          • Azulado ou cor da pele
          • Instrumentos
            • Lençol
            • Gravata
        • DURO
          • Apergaminhado ou castanho escuro
          • Consistência firme
          • Instrumentos
            • Corda
            • Fio
    • Sangre negro e fluído
    • Petéquias de Tardieu
    • Espuma nas vias respiratórias
    • Congestão polivisceral
    • Pescoço
      • Linha argentina - nos sulcos apergaminhados onde o subcutâneo se condensa - amarelado
      • Equimose de partes moles - enforcados com violência
      • Roturas musculares
        • esternocleidomastóideo
        • omo-hióideo
        • esterno-hióideo
        • palatino
      • Lesões Carotidianas
        • Amussat túnica interna rotura
        • Friedberg túnica externa sufusões e lesões
      • Fratura dos grandes cornos do osso hióide
      • Rotura dos ligamentos intervetebrais entre C1 e C2

Físico-Químicos == Sufocação ==

Sufocação

Sufocação direta

  • Oclusão direta das narinas e da boca
    • equimoses e escoriações em forma de dedos e unhas
    • achatamento do nariz em RN
    • Petéquias na face e rosto
    • Face violácea e congestão ocular
    • Espuma em traquéia e laringe
    • Petéquias pleurais, em pericárdio e pericrânio
    • edema pulmonar
    • congestão visceral
  • Oclusão dos orifícios do faringe e do laringe
    • escoriações - hemorragias - fraturas de dentes >>> violência para introduzir objeto
    • corpo estranho nas vias respiratórias
    • espuma rósea na traquéia
    • Petéquias subpleurais
    • Congestão pulmonar e visceral

Sufocação indireta (compressão toráxica)

  • Impossibilidade de movimentos respiratórios
    • cor violácea intensa da face, pescoço e parte superior do tórax (Máscara equimótica de Morestin ou cianose cérvico-facial de Le Dentut)
    • Escoriações equimoses e feridas contusas por ação contundente
    • Fraturas de arcos costais
    • Roturas pulmonares

Físico-Químicos == Engasgamento ==

Engasgamento

 
Engasgamento ocorre quando alguma substância proveniente do meio externo oblitera parcial ou totalmente o tubo respiratório. Ex: criança com bolinha de isopor na traqueia.
Físico-Químicos == Aspiração ==

Aspiração

 
Asfixia por aspiração de conteúdo gástrico, como leite nos recém-nascidos, ou até conteúdo gástrico semi-sólido, como ocorre nos embriagados ou inconscientes.

Observar a possibilidade, no caso de sobrevida, de pneumonia química ou síndrome de Mendelson.
Físico-Químicos == Soterramento ==

Soterramento

 
Transformação do meio gasoso em meio sólido ou pulverolento.

  • Mecanismos de morte
    • Compressão toráxica - sufocação indireta
      • pelo peso
      • presão sobre o tórax aumenta a pressão intratorácica
      • impede a expansão da caixa torácica
      • Impede o retorno da Cava Superior
        • intensa cianose da cabeça, pescoço e metade superior do tórax - MASCARA EQUIMÓTICA
    • Sufocação direta
      • obstrução das VAS ou de seus orifícios por material granular
    • Confinamento
    • Ação contunente
    • Soterramento propriamente dito
      • obstrução por partículas que penetram à distância variada na árvore respiratória
  • Exame externo
    • A cor imita o ambiente
    • Orifícios naturais, leitos ungueais, pregas cutâneas guardam parte do material
    • Freqüentes mutilações, feridas contusas, escoriações, equimoses, e por vezes placas apergaminhadas sem reação vital
    • Maceração da epiderme em meio úmido
    • Livores variáveis - posição do cadáver
  • Exame interno
    • Partículas sólidas aderidas às mucosas das vias respiratórias
    • Largo espectro de lesões viscerais e esqueléticas
    • Sinais gerais de asfixia
    • Infiltrações hemorrágicas nos focos de fratura
    • coleções sanguíneas nas grandes cavidades
    • Corpos estranhos na luz traqueobrônquica - Havia vida

Físico-Químicos == Confinamento ==

Confinamento
  • Falta da renovação do ar
  • Causas
    • diminuição do O2
    • aumento da umidade
    • aumento da temperatura
  • Seqüência
    • dispnéia
    • calor desagradável - o suor não funciona pela umidade
    • Exaustão e hipóxia
      • hiperpnéia
      • taquicardia
      • aumento da PA
      • pânico
      • convulsões
      • coma
      • choque
      • morte
  • Exame externo
    • sujidades nas roupas condizentes com o ambiente
    • lesões contusas em casos de desabamentos
  • Exame interno
    • inespecífico com sinais gerais de asfixia

Físico-Químicos == Intoxicação por CO ==

Intoxicação por CO

 

Físico-Químicos == Afogamento ==

Afogamento

 
Manobra de compressão torácica no afogado

  • Afogamento real ou verdadeiro
    • penetração de líquido nas vias aéreas
  • Afogamento branco (10:1)
    • queda de surpresa
    • temperatura muito baixa da água
    • depressão dos centros nervosos - alcool
    • morte por excitação do vago e conseqüente parada cardiorespiratória por inibição
  • Fases do afogamento
    • Fase de luta
      • O & percebe o perigo iminente mas retarda o pedido de ajuda
      • Tenta agarrar-se a qualquer coisa que flutue - escoriações e feridas superficiais
      • Faz esforços imensos - pode levar a rotura de feixes vasculares com pequenos focos de homorragia
      • Bebe muita água que se acumula no estômago
    • Fase de apnéia voluntária
      • Ao esgotarem as energias o & prende a respiração
      • O CO2 levam à estímulo respiratório irresistível
      • Excitação do faringe e laringe com espasmo das cordas vocais
      • pode haver vômito com aspiração
      • pode ocorrer convulsões
    • Fase de aspiração
      • líquido invade os alvéolos pulmonares
      • estabelece-se troca de solventes e eletrólitos
  • Água doce
    • água menos concentrada penetra por osmose na circulação
    • hemodiluição
    • sobrecarga de volume
    • A hipervolemia é o fator mais importante na falência cardíaca
    • Hemólise
    • Hiperpotassemia
    • Fibrilação ventricular
    • morte em 3-5` após a aspiração
    • Diluição maior no VE
    • Abaixamento do ponto crioscópico - normal = -0,64
    • Cl e Mg menor no VE que em VD
    • A gota do AE, mais diluída, vai afundar um pouco mais e voltar mais lentamente à superfície
  • Água salgada
    • água mais concentrada desloca líquido para a luz alveolar
    • hemoconcentração
    • Sem hemólise - Sem hiperpotassemia - Sem Fibrilação
    • Morte genuinamente pelo processo asfíxico
    • Concentração maior no VE
    • Aumento do ponto crioscópico - normal = -0,64
  • Alterações externas
    • Pela permanência na água
      • Enrugamento da pele - Mãos de lavaderia
      • Contração dos piloeretores - Pele anserina
      • Maceração - Destacamento em luva
    • Pela aspiração do líquido
      • Espuma branca - ar + secreções + surfactantes
      • Expulsa pela boca e narinas logo após a morte pelo relaxamento dos musc. resp.
    • Pela luta por não submergir
      • Lesões na tentativa de se agarrar e pelo grande esforço muscular
      • Os detritos nos sulcos ungueais sugerem o local do afogamento
    • Pela fauna e flora do meio
      • Animais atacam antes e depois da morte - provocam grandes mutilações
      • Após a morte são comuns crustáceos (siris)
        • Pálpebras, lábios, nariz, orelhas e genitália
        • Bordas crenadas, policíclicas, sem infiltração hemorrágica
      • Em mangue é comum ataque de ratos
      • Difícil caracterizar lesão em vida ou após a morte dentro d`água
      • Europeus referem proliferação de algas sobre a pele e orifícios naturais
    • Por hélices de embarcações
      • Lesões mutilantes
      • Extensas
      • Profundas
      • Sem reação vital
    • Por arrastamento do corpo
      • Atrito com elementos do fundo
      • dorso das mãos, dos pés, joelhos e face
      • Cadáver em posição ventral com membros e cabeça pendentes
    • Por deposição de detritos
      • Corpo resgatado com óleo, algas, folhagem, areia, lama
    • Pela manobra do resgate
      • Lesões de extensão variável
      • Proporcionais à dificuldade de resgate
  • Fenômenos
    • Resfriamento é muito mais rápido
    • Rigidez antecipada pela asfixia
    • Livores precoces - fluidez do sangue
    • Livores vermelhos
    • Livores na cabeça e face anterior do tórax (cabeça de negro)
    • Putrefação pode começar no tórax - penetração de bactérias
    • Putrefação demora na água fria, mas se decompõem logo a ser retirado
  • Necrópsia
    • Cogumelo de espuma
    • Enfisema aquoso
    • Corpos estranhos em brônquios
    • Líquido abundante em estômago e alças

Biodinâmico
Meio biodinâmico é aquele que
Lesões especiais


Lesões especiais == Espostejamento ==

Espostejamento

 
O Espostejamento é a divisão em partes menores das que ocorre no esquartejamento.

Espostejamento é reduzir a postas.
Lesões especiais == Decapitação ==

Decapitação

 
Tipo de lesão em que ocorre a separação da polo cefálico do corpo.
Lesões especiais == Degola ==

Degola

 
Lesão cervical posterior, geralmente produzida por instrumento corto-contundente ou cortante.
Lesões especiais == Esgorjamento ==

Esgorjamento

 
Lesão cervical lateral ou anterior, produzida geralmente por instrumento cortante ou até corto-contundente.
  • Causas de óbito
    • Choque hipovolêmico por lesão vascular
    • Parada cárdio-respiratória por lesão nervosa
    • Asfixia por entrada de sangue na árvore respiratória
    • Embolia gasosa por entrada de ar em grandes veias

Hemorragia
  • Conceito
    • Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
  • Classificação
    • Externas
      • gastrorragia: hemorragia gástrica
      • enterorragia: hemorragia intestinal (alguns conceituam enterorragia a eliminação anal de sangue vivo)
      • melena: evacuação de fezes escuras, pastosas e fétidas pela presença de sangue alterado pelas secreções gastrintestinais
      • hematêmese: sangue parcialmente digerido, eliminado sob forma de vômitos
      • otorragia: hemorragia pelo conduto auditivo externo
      • hemoptise: hemorragia proveniente dos pulmões ou de outras partes do trato respiratório
      • epistaxe: hemorragia que ocorre na mucosa nasal ou através das fossas nasais
      • hematúria: presença de sangue na urina
      • menstruação: sangramento uterino periódico, fisiológico, que ocorre em cada ciclo menstrual
        • menorragia ou hipermenorréia:  prolongada e/ou profusa, porém em intervalos normais
        • hipomenorréia: com duração e/ou quantidade menor que a normal, porém em intervalos normais
        • polimenorréia: com duração e quantidade normais, porém com freqüência aumentada (intervalos mais curtos)
        • oligomenoréia: com duração e quantidade normais, porém com freqüência diminuída (intervalos mais longos)
        • polimenorragia: quando a duração e/ou a quantidade e a freqüência estão aumentadas
        • amenorréia: .ausência de menstruação
      • metrorragia: hemorragia uterina anormal, acíclica
    • Internas
      • petéquia: ou hemorragia petequial - hemorragia minúscula na pele, mucosas ou serosas
      • equimose ou sufusão hemorrágica: hemorragia cutânea, mucosa ou serosa de dimensões maiores
      • hematoma: hemorragia maior, na qual o sangue não se difunde das malhas do tecido e forma uma coleção
      • bossa sanguínea: coleção sanguínea localizada sobre um plano ósseo fazendo saliência na superfície da pele
      • apoplexia (do gr. apoplexia + abater, cair): termo utilizado para indicar hemorragia que se dá na intimidade de um órgão (encéfalo, pâncreas, supra-renais) com destruição parcial deste e manifestações gerais súbitas e graves.
    • Cavidades pré-formadas
      • hemotórax: na cavidade pleural
      • hemopericárdio: no saco pericárdico
      • hemoperitônio: na cavidade peritonial
      • hemorragia ventricular ou intraventricular: nos ventrículos cerebrais
      • hemartrose: nas cavidades articulares
  • Etiopatogênese:
    • Com solução de continuidade da parede vascular ou cardíaca
      • ruptura ou laceração (são as mais freqüentes).
        • traumáticas - instrumentos contundentes, cortantes, perfurantes, etc
        • espontâneas
          • aneurismas
          • hematoma dissecantes da aorta
          • hipertensão arterial maligna
          • infarto transmural do miocárdio
          • diversas outras condições de fragilidade da parede vascular (inflamações, por exemplo)
      • erosão ou digestão da parede vascular
        • cavernas tuberculosas quando a necrose atinge a parede dos vasos
        • erosão vascular por neoplasias malignas
        • úlcera péptica em que o suco gástrico digere a parede do vaso
    • Sem solução de continuidade da parede vascular ou cardíaca ???
      • Em geral não se demonstram alterações capazes de explicar satisfatoriamente a saída das hemácias, que se dá nos pequenos vasos sanguíneos (hemorragia por diapedese???).
      • Esse tipo de hemorragia ocorre por aumento da pressão no interior de capilares e vênulas, como na congestão pulmonar, e por distúrbios da hemostasia, nas diáteses hemorrágicas.
    • Diáteses (do gr. diáthesis = arranjo, condição) hemorrágicas: são condições que favorecem hemorragias aparentemente espontâneas ou após traumatismos, devidas a defeitos na estrutura dos vasos sanguíneos, a alterações plaquetárias ou a transtornos da coagulação do sangue.
      • púrpuras
      • coagulopatias.
  • Conseqüências
    • Três fatores fundamentais:
      • quantidade de sangue perdido;
      • rapidez da perda;
      • local da hemorragia.
    • Perdas lentas de 10 a 20% podem não ter significação clínica.
    • Súbitas e maiores podem levar ao choque hipovolêmico.
    • Pequenas, localizadas no encéfalo, na medular das supra-renais ou no saco pericárdico podem levar a morte súbita.
    • Hemorragias externas pequenas, porém repetidas, acabam por determinar anemia por perda de ferro; entretanto, o mesmo não ocorre na mesma intensidade com hemorragias nos interstícios ou cavidades pré-formadas, visto que a transformação progressiva da hemoglobina permite a absorção e utilização de seus constituintes para formar novas hemácias.
    • Dependendo da extensão.da hemorragia, a bilirrubina produzida pelo catabolismo da hemoglobina pode impregnar os tecidos e provocar icterícia.
  • Fonte principal deste tópico: http://www.ccs.ufsc.br/patologia/cronograma/HemorragiaPTL5110.htm



Webmaster
Malthus

Este site está sendo monitorado, como parte dos Trabalhos do Professor
Malthus Fonseca Galvão
Todas as ações implementadas neste site ficam gravadas em um banco de dados
com finalidade de pesquisas e melhorias do sistema.

©Os direitos autorais deste Sítio são protegidos pela Lei 9610 de 19/02/1998. Todos os programas de computador, métodos e bancos de dados utilizados neste Sítio foram desenvolvidos pelo Prof. Malthus Galvão. O conteúdo é propriedade dos respectivos autores. Toda violação destes direitos de propriedade estará sujeita às penalidades prescritas em lei.
Este sítio está em constante remodelação e pode conter erros!!!